Pages

domingo, 24 de abril de 2011

E ainda zombam da inteligência da torcida!...

Na criação de Pedro Gomes (O resto do Iceberg)
Galvão é batata que não assa
Em entrevista neste domingo ao programa "Gastando bola", da Rádio Clube, depois da lapada que tomou do Galo Elétrico no sábado à noite no Zinho Oliveira quase sem ninguém, Galvão disse que a Aguialinha tem "um presidente macho e uma comissão técnica arrojada", de onde se presume que é o time que não presta mesmo. 
E disse mais: "Trocar de técnco pra que? Não resolve!..."
Ora, quem contrata os jogadores? Quem os escala?
A maioria desses atletas tem histórico de boa passagem pela equipe e alguns até evoluíram, mas hoje parecem  peladeiros de fim de semana: desconjuntados, perdidos, desafinados, ansiosos.
Quem é o responsável pela porra desse esquema tático que frustra os jogadores e caiu no descrédito de qualquer grupinho catado na várzea para atuar como adversário?
Galvão e Ferreirinha e mais o que os dois chamam de "comissão técnica arrojada"!
Quando sairem do Aguialinha, Ferreira pode tentar voltar à Câmara e Galvão vai escrever um "Manual prático do cara de pau". 

6 comentários:

Anônimo disse...

Ademir ja estou vendo agora em maio o maurino enfrentar outro problema ele vai ter que anunciar o reajustes dos professores acho que vai ter greve. aproveitar para colocar uma retrospectiva da luta dos educadores. obrigado

Ademir Braz disse...

Então, me ajuda: faz essa retrospectiva e me manda. Ando com certas urgências profissionais e não terei tempo para fazer um levantamento dessa relação do tiranete de plantão com a categoria dos professores.

Blogue Marabá 2012 disse...

O Águia de Marabá não é da propriedade de alguns caciques que não largam o "o$$o" nem que a vaca tussa.

Goreth Valério da Costa disse...

Ademir acho que posso te dar uma mãozinha na solicitação do anônimo mas a caixa de comentario vai ficar pequena, vou mandar por email.

Ademir Braz disse...

Recebi, Gorinha, e separei para ler devagar. É uma briga boa. Vou arranjar um tempo para dar minha contribuição. A dubiedade na relação entre "prefeito" e professores é evidente.
Abraços

Anônimo disse...

Em programa radiofônico ontem (25/04) Ferreirinha dava explicações sobre as dispensas de Ley(ala direito), Fabrício e Michel (meias). Concordo com as duas últimas. Agora o Ley era o melhor do time, se às vezes "embolava" com outros pela direita ou meia, era a ansia de chegar ao gol adversario - coisa que o ataque não consegue. Ferreira denuncia - só agora - que Fabrício tinha problema com alcoolismo. Se deduz que o Águia tornou-se parcialmente, um misto de Alcoólicos Anônimos(AA) e Agência do INSS, haja visto o caso acima e o de Marquinhos Marabá, sempre gordo e com suas farras com companheiros em seu Fiat Stilo amarelão. Os outros casos são do zagueiro veterano "avenida" Edkleber (Jaílton Paraíba do Remo que o diga). Outra detalhe : A turma da torcida organizada da N. Marabá, ao apoiar incondicionalmente o time, não percebe que está sendo usada como massa de manobra - coitados -. Ferreira avalia que o jogo com o Payssandú pode ser transferido para Belém. Ora, onde está o propalado respeito pela cidade ? Deveria sim, manter o mando de campo para Marabá (Zinho Oliveira) e "com vergonha na cara e vontade nos pés" vencer o bicolor e ter pelo menos, uma despedida honrosa da competição. Em 26.04.11, Marabá-PA.