Pages

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Pelebreu


- Doutora, a senhora jura que não vai rir, perguntou o paciente?
- Claro que não irei! - respondeu a urologista, exaltada. Sou uma profissional da saúde. Existe um código de ética em questão! Em mais de 20 anos de profissão nunca ri de nenhum paciente!
- Tudo bem, então, disse o paciente. E deixou cair as calças, revelando o menor piu-piu que a urologista tinha visto na vida. Considerados comprimento e diâmetro, não seria maior do que uma pilhinha tipo AAA.
A bem da verdade, diga-se que a médica tentou, tentou, mas a gargalhada veio como um desmantelo. E durou uma eternidade, até a senhora resgatar a compostura.
- Eu sinto muito, me desculpe. Não sei o que aconteceu comigo. Dou minha palavra de honra de médica e de dama que isso nunca mais acontecerá. Agora me diga, qual é o problema?
- Está inchado, respondeu o cara.
E se foi de uma vez o profissionalismo pra baixa da égua

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Biodiesel Vale

A Vale anunciou nesta semana a compra do controle da Biopalma da Amazônia por US$ 173,5 milhões.  A empresa, produtora de óleo palma, matéria-prima para a produção de biodiesel, possui seis pólos de produção em desenvolvimento na região do Vale do Acará e Baixo Tocantins, no Pará.  As informações são do jornal O Estado de São Paulo.
Por meio de nota, a Vale informou que o objetivo da aquisição é utilizar um combustível mais limpo para alimentar sua frota de locomotivas, máquinas e equipamentos de grande porte em suas operações no Brasil.  Em 2009, quando anunciou a parceria com a Biopalma, a Vale planejava investimentos de US$ 305 milhões na produção de biodiesel.
O produto será usado prioritariamente em 200 locomotivas que escoam a produção de minério do Pará e em grandes equipamentos na mina de Carajás, no mesmo Estado.  A Vale anunciou que pretende atingir uma produção de 160 mil toneladas de biodiesel de palma, o equivalente a 20% do consumo energético da companhia.
A Biopalma começa a produzir óleo de palma em 2011, com a expectativa de atingir uma produção anual de 500 mil toneladas em 2019, quando a lavoura atinge sua maturidade.  A empresa pretende ampliar os pólos de produções no Pará.  Até 2013, serão 60 mil hectares plantados com dendê e 75 mil destinados a recuperação e regeneração de mata nativa.  Hoje são 18,4 mil hectares plantados, com previsão de mais 14,4 mil hectares de plantio no primeiro trimestre.

A dinastia do Tocantins

O governador Siqueira Campos (PSDB-TO) anunciou semana passada que dará o nome do neto Gabriel Siqueira Campos, 12 anos, falecido no dia 14, em acidente aéreo em Goiânia (GO), à ponte sobre o Rio Tocantins, ligando Lajeado a Miracema.
Gabriel Marques Siqueira Campos, faleceu durante vôo de Palmas a Goiânia, com outras cinco pessoas, no dia 14 de janeiro. Ele é filho do secretário estadual de Planejamento e Modernização da Gestão Pública, Eduardo Siqueira Campos.
O serviço mais relevante prestado pelo menino à sociedade tocantina foi nascer na família do governador.

Pela porta dos fundos

Derrotada nas urnas, a deputada Tetê Santos, 1ª suplente do PSDB, está na Justiça Eleitoral para voltar à Assembléia Legislativa. Segundo o blog do deputado Parsifal Pontes, o ministro Cezar Peluso, presidente do STF, deferiu liminar para que suplente do partido, e não da coligação, assuma a vaga deixada pelo titular do mesmo partido. O STF deferiu antes medida do mesmo teor.
Por esse entendimento, Tetê Santos assumiria em lugar do deputado Sidney Rosa, que vai para a Secretaria de Estado de Projetos Estratégicos a convite de Jatene.
Como a decisão do STF se restringe a quem a demanda, a Alepa deverá convocar Haroldo Martins (DEM) para tomar posse comosuplente da coligação PSDB-DEM, até que Tetê Santos obtenha a liminar para assumir”, esclarece Parsifal. 

Que destino horrível!

Amigo meu foi a uma cartomante e ela lhe disse que em 2011 acontecerá uma tragédia com ele.
- Vou morrer?, perguntou ele
- Pior, disse ela, você vai se casar!

Por isso tô só engordando!...

Chego do trabalho e a exibida já botou a mesa do jantar...
Ainda morro disso!

Com Galvão, não dá...

quanto tempo o Águia do Galvão não ganha uma partida imortante? Vejamos:
Em 05.09.2010 – perdeu oara o Rio Branco
Em 20.09.2010 – empatou com o Fortaleza
Em 16.10,2010 – perdeu para o ABC
Em 24.10.2010 – perdeu de novo para o ABC, sendo eliminado da Série C.
Em 2011, em jogos válidos para o Campeonato Paraense,  para manter a escrita empatou duas dentro do Zinho Oliveira e ontem levou porrada do leão arruinado de Antônio Baena.

O Águia, ontem, no Baenão: 0 x Remo 1

"O povo gUvernando"

Da Terra do Nunca, de Chagas Filho, um dos grandes jornalistas do Sul do Pará, sob o título acima:

Enquanto tivermos prefeitos como Maurino, teremos cartazes como este.
"Né" brinquedo não!
A "pupulação" agradece.
-------
Será que essa "pupulação agredita" mesmo que desse desgoverno que já vai mais da metade ainda possa vir alguma coisa que preste?

Obra não foi aprovada pelo Plano Diretor!

Ando impressionado com o volume de obras comerciais na zona urbana, caracterizadas principalmente pela falta de estacionamento para usuários. Em conseqüência, veículos ficam parados sobre a calçada, espaço destinado ao pedestre, que é obrigado a invadir o leito das ruas e correr o risco de atropelamento. Por outro lado, cresce a destruição dos canteiros centrais das avenidas (preferenciais, sobretudo. como VP-05, VP-06, VP-07 e VP-08) da Nova Marabá e do Novo Horizonte, patrocinada pela prefeitura e imediatamente "privatizada" pelas revendedoras ou locadoras de veículos. Em busca de respostas para essa permissividade danosa ao interesse público, dia desses indaguei do prof. Ribamar Ribeiro Júnior, membro do  Conselho Gestor do Plano Diretor  de Marabá sobre a autorização para algumas dessas obras particulares. 
A resposta está  no seu blog Reflexão & Contraponto, transcrita a seguir: 

Foto: Ribamar Ribeiro Jr.

"Recentemente este poster foi provocado pelo advogado Ademir Braz, sobre o processo de regularização pelo Conselho Gestor do Plano Diretor  de Marabá, do qual este poster é membro, da obra de um hotel que está sendo construído na Folha 31 da Nova Marabá - ao lado do Posto São Bento.
Como conselheiro entrei em contato com o presidente do conselho e também com o conselheiro Carlos Brito, ambos afirmaram que o referido empreendimento não deu entrada com o processo na secretaria do conselho para os tramites legais que deveria passar. Nem na primeira etapa que ja fora concluída e nem na segunda que estpa em fase de cosntrução avançada.
presidente do conselho Glênio Benvido, informou que enviou no mês de novembro/2010 uma correspondência informando sobre a necessidade do processo passar pelo conselho - e até semana passada os responsáveis  não haviam respondido.
--------------------------
Apesar de não constar no Art. 112 do Plano Diretor de Marabá, o nome HOTEL como empreendimento de Impacto, caracteriza como impactante no Art 111 da mesma lei: Usos Geradores de Impacto à Vizinhança são todos aqueles que possam vi a causar alteração significativa no ambiente natural ou construído, sobrecarga na capacidade de atendimento da infra-estrutura básica, quer se instalem em emprendimentos públicos ou privados, os quais são designados de "Empreendiemtnos de Impactos" - È sabido que o tal empreendimento aqui questionado, deve ter garagem, além de se situar ao lado de um grande posto de combustível do mesmo grupo do empreendedor.
-----------------------------------------------------------------------------------
Aqui a base legal para este debate:
.BASE LEGAL:
Os empreendimentos que deverão submeter à aprovação no Conselho Gestor do Plano Diretor estão estabelecidos nos art. 111 e 112 da Lei n°17.213/06, conhecida como Lei do Plano Diretor Participativo de Marabá.
Como pré-requisito, os empreendimentos devem:
-        Estar dentro da macro-zona urbana, conforme art. 14;
-        Obedecer ao estabelecido no título IV (dos parâmetros para o uso, a ocupação e o parcelamento do solo);
-        Obedecer ao estabelecido no título V (dos instrumentos da política de desenvolvimento municipal) capítulo II (da outorga onerosa do direito de construir) e capítulo VI (do impacto de vizinhança);
-        Comprovar a titularidade do imóvel, por meio de escritura ou termo de posse emitido por cartório de registro de imóveis.
DISPOSIÇÕES ADMINISTRATIVAS E TÉCNICAS
A aprovação de empreendimentos será precedida pelos seguintes procedimentos:
1º - obtenção das “Diretrizes Urbanísticas” - Protocolar processo de análise de empreendimento junto à Secretaria Executiva do Conselho Gestor do Plano Diretor Participativo de Marabá (CGPDP), localizada na Secretaria de Planejamento e Controle - SEPLAN, obedecendo às disposições administrativas e técnicas contidas nas Resoluções 01/2008 e 02/2008 do CGPDP anexas. Quanto à resolução nº 02/2008 será cobrado o percentual de 15% da área dos empreendimentos destinados aos condomínios residenciais, destinando-as ao uso institucional. A área deverá ser de posse e domínio público e, sendo, portanto, intransferível;
2º - reconhecimento da Titularidade e Enquadramento Urbanístico – Submeter o processo analisado pelo CGPDP à aprovação na Superintendência de Desenvolvimento Urbano - SDU, obedecendo ao estabelecido na Resolução 02/2008 e, caso seja requerido pelo CGPDP, apresentar o Estudo de Impacto de Vizinhança – EPIV com as devidas soluções quanto ao abastecimento de água, fornecimento de energia e tratamento de esgoto;
3º - Análise do EPIV – A SDU encaminhará o EPIV para análise no CGPDP;
4º - Obtenção do “Alvará de Construção” – Protocolar processo de análise de empreendimento junto à Secretaria Municipal de Viação e Obras Públicas – SEVOP, contendo o estabelecido no código de obras do município e os pareceres favoráveis do CGPD e SDU anexados no processo.
(Fonte:GUIA DE PROCEDIMENTOS PARA SUBMISSÃO DE PROJETO DE EMPREENDIMENTOS PARA APROVAÇÃO NO CONSELHO GESTOR DO PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO DE MARABÁ, DE ACORDO COM A LEI N°17.213/06 E AS RESOLUÇÕES Nº 01/2008 E 02/2008.)"
------
A conclusão é óbvia: há gente se dando bem com tantas irregularidades. 

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

OVNI

Do depoimento de testemunhas e do retrato falado produzido pela polícia sobre o bólido que cruzou as estradas do interior paulista, os cientistas produziram uma réplica do Objeto Voador não Identificado (OVNI) que seria o carro da vereadora Elka Maravilha.
Na maquete, o veículo todo turbinado com latas de Red Bull.

A vida imita a arte

O desenho é de Werner, artista nacional em exposição recente em Santa Catarina. 
Mas bem poderia ser atualíssimo flagrante fotográfico, com a seguinte legenda:
Depois da carreta, e já na intimidade do poder, a turma do Maurino comemora o retorno do chefe.

OAB quer suspensão de concurso de Marabá

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seção Pará, vai entrar com pedido de mandado de segurança à Justiça para que suspenda o concurso da prefeitura de Marabá para o cargo de Procurador Geral municipal, cujas provas objetivas serão aplicadas no dia 13 de fevereiro.
Segundo Haroldo Silva Junior, presidente da OAB em Marabá, o edital do certame possui irregularidades. “A Ordem não foi chamada para participar da elaboração do conteúdo programático”.
Haroldo diz que no edital não consta o item de “Direito Tributário”, área de conhecimento que seria importante para a atuação do procurador. A OAB quer ainda que, além da prova objetiva, os candidatos façam avaliação subjetiva.
A OAB diz que vinha mantendo contato com a prefeitura para que fossem feitas as mudanças no edital, mas a resposta foi negativa.
Por telefone, o Centro de Extensão, Treinamento e Aperfeiçoamento Profissional (Cetap), que organiza o certame, disse que acionaria o setor jurídico para se inteirar da situação. A Assessoria da Prefeitura de Marabá também não havia sido informada oficialmente sobre a situação. (Diário do Pará)

Sarney, de novo. Pela 4ª vez...

O fôlego da múmia oligarca.
Pela quarta vez reeleito para a presidência do Senado

Conheça o perfil do 11º ministro

Luiz Fux, magistrado de carreira

 11º ministro do STF, Luiz Fux, 57 anosque deverá  ter o seu nome confirmado pela maioria absoluta do Senadosempre conquistou cedo, e com muito sucesso, os cargos de sua carreira no Judiciário. Carioca do Andaraí, estudou no Colégio Pedro II, e formou-se em direito na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Foi advogado da Shell Petróleo, até ser aprovado, em primeiro lugar, em concurso para promotor de Justiça estadual, quando tinha 26 anos. Aos 30 anos, tornou-se juiz de direitotambém primeiro colocado no concurso – tendo atuado nas comarcas de Trajano de Moraes, Santa Maria Madalena, Cordeiro, Cantagalo, Nova Iguaçu, Macaé, Petrópolis e na 9ª Vara Cível do Rio de Janeiro. Em 1979, foi nomeado desembargador do Tribunal de Justiça fluminense, onde exerceu o cargo até novembro de 2001, quando foi nomeado ministro do SuperiorTribunal de Justiça pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso. No STJ, presidiu a 1ª Turma e a 1ª Seção (reunião das 1ª e 2ª turmas, ambas especializadas em Direito Público). No magistério, foi sempre ligado à UERJ, na qual  chefiou o Departamento de Direito Processual. O ministro Fux foi ainda presidente da comissão de juristas encarregada da elaboração do novo Código de Processo Civil, cuja redação final foi aprovada, em dezembro último, pelo Senado.
É o próprio ministro Luiz Fux quem fala de suas origens, na autobiografia encomendada pela Faculdade de Direito da UERJ, em “70 anos de história & Memória (1935-2005)”: “Sou carioca da gema. Como se dizia antigamente. Minha mãe é Lucy Fux. Meu pai chama-se Mendel Wolf Fux, imigrante romeno, brasileiro naturalizado. Meu pai é advogado. Ele era contador e, depois da família crescida – tenho mais duas irmãs – resolveu fazer o curo de direito, tendo o concluído com uma certa idade (...). Minha família é de exilados de guerra, da perseguição nazista. Tenho origem judaica. Meu avô e a minha avó se reencontraram no Brasil, após três anos separados. A minha avó conseguiu vir primeiro, exilada, depois é que veio o meu avô. Chegando aqui, meu avô exerceu uma função bastante humilde. Ele vendia roupas para pessoas de classe baixa, nas populações mais carentes (...). Por parte de mãe, talvez. Se alguém acredita, vamos dizer assim, nessa absorção por osmose hereditária, o pai de minha mãe exercia função de juiz arbitral na coletividade. Era um homem muito culto, dedicado às questões da justiça”.
Nome de Fux ainda tem que ser aprovado pelo Congresso
O novo ministro do STF – o primeiro indicado pela presidente Dilma Rousseff – é casado com  Eliane, e tem dois filhos: Mariana e Rodrigo, de 28 e 26 anos. Adepto de caminhadas matinais diárias nas vias próximas de sua casa no Lago Sul, ele é faixa-preta em jiu-jitsu. Em maio de 2003, ficou ferido ao reagir a uma tentativa de assalto a seu apartamento em Copacabana, ocasião em que quatro assaltantes feriram-lhe o rosto e um joelho com golpes de marreta.
A presidente Dilma Rousseff escolheu Luiz Fux para ocupar a vaga aberta no STF, há seis meses, com a aposentadoria do ministro Eros Grau. Com isso, ela atende a uma revindicação de todas as associações da magistratura, que defendiam a nomeação de um juiz de carreira para a Corte Suprema.
Na atual composição do STF, o único magistrado de carreira é o atual presidente, Cezar Peluso – que era desembargador em São Paulo, e foi nomeado em 2003, juntamente com Ayres Britto e Joaquim Barbosa, oriundos da advocacia e do Ministério público, respectivamente. São também ex-procuradores da República os ministros Celso de Mello, Ellen Gracie e Gilmar Mendes. Marco Aurélio de Mello foi do Ministério Público do Trabalho, antes de ser nomeado ministro do Tribunal Superior do Trabalho (1981-1990) e, em seguida, ministro do STF. Ricardo Lewandowski, Cármen Lúcia e Dias Toffoli também não eram juízes de carreira. O primeiro foi nomeado desembargador do TJ-SP, em 1990, mas na cota dos advogados. A jurista Cármen Lúcia foi advogada e procuradora do Estado de Minas Gerais. Dias Toffoli fez carreira na advocacia, e foi advogado-geral da União, durante quase todo o segundo mandato do ex-presidente Lula.
Em janeiro, a Associação dos Magistrados Brasileiros enviara ofício à presidente Dilma Rousseff , no qual advogava a nomeação de um magistrado de carreira para a vaga de Eros Grau. No ofício, o presidente da AMB, Nelson Calandraque é desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo – argumentava que o país tem uma “magistratura sólida”, com quase 15 mil integrantes que “passaram por concursos públicos marcados pelo rigor” e que, antes de se tornarem vitalícios, “foram acompanhados de perto, tanto pelo Judiciário, por meio das corregedorias, quanto pela sociedade e pelo Conselho Nacional de Justiça”.
Na semana passada, a Associação dos Magistrados do Rio de Janeiro (Amaerj) reforçou a reivindicação da AMB. O presidente da entidade, desembargador Antonio Siqueira, sugeriu à presidente da República a indicação do ministro Luiz Fux, lembrando que ele passou em primeiro lugar em todos os concursos públicos de que participou, escreveu mais de 20 livros, e distinguiu-se no exercício da magistratura nas três instâncias do Judiciário – do primeiro grau à terceira instância (STJ), passando pela segunda (TJRJ).  (Jornal do Brasil, Luiz Orlando Carneiro)

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Recepção obrigatória

Cerca de 500 funcionários de várias secretarias municipais foram levados por seus chefes ao aeroporto, agora à tarde, para receber Maurino Magalhães, reconduzido por liminar do TRE ao Executivo.
Não está bem esclarecido quem forneceu o transporte que depois levou-os em carreata pela cidade.

Como esperado, TRE reconduz Maurino e Amoury

Em decisão monocrática – solitária e que não entra no mérito da questão -, o juiz José Rubens Barreiros de Leão, do Tribunal Regional Eleitoral do Pará, deferiu hoje, por volta do meio-dia, liminar no pedido de retorno de Maurino Magalhães e Nagilson Amoury aos cargos de prefeito e vice-prefeito de Marabá.
Esta liminar, que era esperada no círculo político local, deverá prevalecer até  o trânsito em julgado da sentença de mérito que eventualmente venha a julgar procedente a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) ou publicada a decisão prolatada por órgão colegiado no mesmo sentido, em obediência ao que prescreve o art. 15 da LC 64/90.
Cópia da liminar, da petição inicial, e dos documentos que a instruem serão enviados ao Juiz Eleitoral Cristiano Magalhães para que preste em dez dias as informações previstas necessárias.
O juiz José Leão determinou vista dos autos ao Ministério Público e intimou o advogado do segundo impetrado, Dr. Fábio Rabino de Oliveira Rodrigues, para que apresente em cinco dias uma procuração original, a fim de regularizar a sua representação profissional.
A Ação de Investigação Judicial Eleitoral nº 891/2009 foi impetrada pelo PPS e pela ColigaçãoUnião pelo Trabalho”, por suspeita da prática de caixa dois por Maurino Magalhães na campanha à prefeitura municipal em 2008, fundamentada em documentos fornecidos por um grupo de empresários de Parauapebas, tendo à frente Abimael Barbosa da Rocha, que asseguram ter contribuído com mais de R$ 800 mil para a campanha de Maurino e que não foram declarados à Justiça Eleitoral.
O afastamento de Maurino, pela metade do mandato, foi determinado pelo juiz titular da 23ª Zona Eleitoral de Marabá, Dr. Cristiano Magalhães, insatisfeito com os seguidos recursos protelatórios da defesa do acusado, a prejudicar o andamento do processo.
Agora, é possível que até fim de fevereiro o processo seja concluído e devidamente sentenciado.
Dr. Cristiano Magalhães: Afastamento de Maurino
 visou celeridade processual  

O caso das zonas eleitorais

A Superintendência do Patrimônio da União no Pará (SPU/PA) celebrou em 29 de dezembro um Contrato de Permuta entre a União, com interveniência do Tribunal Regional Eleitoral do Pará, representado pelo Desembargador Presidente João José da Silva Maroja e o senhor Onildo Pimentel Rocha, tendo como objeto a permuta de imóvel da União jurisdicionada ao TRE-PA, localizado na Folha 31, Quadra 2, Lotes nº 34/37, pelo imóvel de Onildo Pimentel Rocha situado na Rua São Francisco nº 2233, na Cidade Nova.
Com a permuta, o imóvel locado para o funcionamento daquelas duas Zonas Eleitorais passou a pertencer à União, representando uma economia de R$ 4.193,65  mensais do valor de locação.
O Coordenador de Edificações e Infraestrutura, Ângelo Passos, informou que apesar de o imóvel possuir espaço bem restrito e não dispor de área para expansões futuras com a criação de novas zonas eleitorais, o que parece inevitável, dada as projeções de crescimento para Marabá nos próximos cinco anos, possui estrutura suficiente para abrigar provisoriamente as duas zonas eleitorais instaladas, até a construção do Fórum Eleitoral de Marabá, cujos projetos se encontram em fase de elaboração pela Seção de Engenharia e Projetos com a parceria da Secretaria de Obras da Prefeitura de Marabá.
“Foi fundamental para embasar o processo de permuta dos imóveis a localização do imóvel antiga que se encontrava enclausurado na Área de Depósito do Grupo Leolar, além de possuir acessos bem restritos e totalmente inadequados a servidores e usuários da Justiça Eleitoral. O novo imóvel possui uma boa estrutura física e localização privilegiada com fácil acesso através de corredores de transporte rodoviários diversos, ônibus, vans e moto-taxi”, diz a Coordenadoria de Edificações e Infraestrutura.

Expectativa

O jornalista João Salame Neto, deputado reeleito, não vai tomar posse hoje, 1º de fevereiro, na Assembléia Legislativa do Estado.
Em entrevista a programa da RBA local, na tarde de segunda-feira, 31/01, ele disse que em vista da conjuntura política indefinida em Marabá, com o afastamento judicial do prefeito Maurino Magalhães e a possibilidade de que ele venha a ser empossado como segundo mais votado em 2008, no caso de cassação definitiva, vai ficar os 60 dias do prazo a que tem direito em relação à posse na Assembléia.
Garantiu que, se chegar à prefeitura, vai trocar toda a equipe de governo.
Enquanto não se resolve esse embroglio, o vereador Nagib Mutran Neto permanece à frente da prefeitura imobilizado pela mesma indefinição.
Seguramente, os fatos o pegaram desprevenido, recém-galgado à presidência da Câmara. Em conseqüência, prefere deixar as coisas como as encontrou: tem se limitado a encabeçar campanha de combate à dengue, medida que condiz com sua formação em Medicina.
A verdade é que a gestão pública municipal emperrou de vez. Há a possibilidade de uma enchente no horizonte da cidade, restando confiar que a equipe da Defesa Civil, já habituada com o fenômeno, proceda com agilidade. O problema são as compras necessárias de material para construção dos abrigos e gênero alimentício. E embora não exista nada oficial a respeito, sem dúvida alguma a zona urbana está vivendo um surto de dengue que já vitimou o próprio prefeito em exercício.

Vai perder?

NILSON CHAVES/VITAL LIMA E BANDA
DIAS 4 E 5 DE FEVEREIRO
TEATRO DA PAZ
LANÇAMENTO DO DVD 
SINA DE CIGANO

Troca de gendarme

Mudança de guarda no feudo de Bernadete e Zé Geraldo
Suserano era, no feudalismo, aquele que tinha domínio sobre um feudo de que dependiam outros feudos. Entra governo, sai governo, os tempos passaram, outros nomes surgiram, mas a essência de domínio continua a mesma.
Querem ver?
O PT pra Valer (não se sabe o quê, para quem), que continua o suserano da Superintendência do Incra no Sudeste do Pará, substituiu a guarda da fortaleza local: Rosinete Lima está de licença maternidade e em seu lugar vai o agronômo Edison Luiz Bonete apascentar o curral eleitoral de Bernadete ten Caten e Geraldo.
Assentamento, que é bom, não tem mais.

Lá vem o Trem

A capa do livro é belo desenho desse trem aí, que inspirou a
obra 

Coordenador do Mestrado em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável da Universidade Federal do Pará, Núcleo de Ciências Agrárias e Desenvolvimento Rural, o prof. Gutemberg Armando Diniz Guerra, está lançando seu  Trem” - um poema feito de vagões que encerram vida e morte.
Segundo o release divulgador da obra “Trem” vem para dialogar com nossas posturas diante do mundo.
Lançado pela Editora Paka Tatu, em Belém, este faz parte da retomada das publicações literárias que se acumularam nas gavetas e pastas nas estantes do autor.
Guerra nasceu em Salvador, Bahia. Formou-se em Engenharia Agronômica em Cruz das Almas (1976) e trabalhou na Emater-BA, na Diocese de Alagoinhas, no Projeto Sertanejo pela Secretaria de Agricultura, em Condeúba e na Companhia de Ação Regional, no Projeto de Desenvolvimento Integrado da Região Nordeste da Bahia. Em Brasília e Belém trabalhou na Embrapa. Fez Mestrado em Planejamento do Desenvolvimento na UFPA. Em Marabá trabalhou no Centro Agroambiental do Tocantins. Doutor pela École des Hautes Études en Sciences Sociales, em Paris, retornou ao Pará, ingressando na UFPA. Trabalhou na Universidade da Amazônia – UNAMA. Pós-doutor pela Columbia University, em Nova.
Publicou Quilhaem Poesia: 3 autores e Eh saudade: crônicas do exílio à sombra da torre (1998). É cronista do Correio do Tocantins, em Marabá desde 1990. Agora é o “Tremque chega, e outros estão a caminho, como piracema de memórias a subir as águas para desovar em versos, prosas e alguma ciência que o mesmo autor anda praticando em suas lidas para sobreviver.

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Nostradamus

Está no blog Terra do Nunca, do Chagas "Peter Pan" Filho:

João Salame acaba de ser notificado (às 10h30) pela Justiça Eleitoral para assumir a Prefeitura de Marabá. Agora vamos às previsões.

Salame tem até o fim da semana para assumir a prefeitura (são cinco dias  teis).
Caso o recurso de Maurino no Tribunal de Justiça do Estado seja aceito ainda esta semana, Maurino deve reassumir a cadeira do Executivo Municipal até sexta-feira.
Ou seja, se Salame assumir e em seguida Maurino reassumir, Marabá poderá ter três prefeitos na mesma semana.
Mas até março, isso tudo se resolve. Será quando o juiz Cristiano Magalhães (que não é parente do Maurino) dará a sentença no processo que investiga o prefeito pelo crime de Caixa 2 na campanha eleitoral de 2008.
Caso Maurino seja condenado, ele será caçado, enquanto Salame assume a prefeitura.
Daí em diante, Maurino terá de recorrer a Brasília (DF), e esse recurso pode durar meses ou até mesmo um ano para ser julgado.
Caso Maurino seja inocentado, quem deve recorrer é o PPS, partido que denunciou o Caixa 2 à Justiça Eleitoral loca.
É isso.

Gazeteiro

Sob o título "Caso Maurino", o blog do Laércio Ribeiro informa:

"Maurino, o prefeito afastado de Marabá, desembarca na tarde desta segunda-feira (31/01) no aeroporto local, vindo de Belém. Também está sendo aguardado para hoje o pronunciamento do deputado João Salame, informando se decide assumir ou não a prefeitura. Ele tem 5 dias para informar a decisão, uma vez que só hoje é que foi notificado oficialmente pela Justiça Eleitoral.
Polêmica - Está dando o que falar publicação do jornal Gazeta de Carajás, de propriedade do Maurino, em circulação na cidade, afirmando que autoridades lamentam o afastamento dele. Na página 7 do periódico, aparecem nove fotos do prefeito afastado, na companhia de alguns políticos, encimadas pela inscrição: "Autoridades que lamentam afastamento do prefeito Maurino Magalhães". Na lista dos supostos queixosos estão a presidente Dilma Roussef, o ex-presidente Lula, o governador Simão Jatene e até o presidente do Tribunal de Justiça.
O que todos estão querendo saber é se todas essas autoridades porventura enviaram carta a Maurino ou fizeram alguma declaração pública comentando o seu caso e lamentando o seu afastamento. Estaria a presidente Dilma Roussef, que viaja hoje para a Argentina, informada sobre os últimos acontecimentos da política marabaense, ao ponto de se manifestar sobre a decisão da Justiça Eleitoral de tirar Maurino do cargo?
Alguém do jornal Gazeta de Carajás terá de explicar direitinho essa história."
----
Vamos por parte, como diria Chico Picadinho, aquele que matava e desmontava suas mulheres:
A palavra "gazeta", pelo menos no Brasil e pelas bandas de cá, também possui o interessante sentido de "faltar à aula, ou a qualquer compromisso para gazear", ou seja, ficar na gandaia.
Gazeteiro, segundo o dicionário eletrônico Houaiss, é o "que ou aquele que espalha notícias infundadas; mentiroso, noveleiro".
É neste sentido que deve ser entendido o jornal do Maurino, impresso em Brasília com dinheiro ignorado, e supostamente produzido pelo filho do ex-prefeito, aquele que ocupa a chefia da Assessoria de Imprensa, cargo privativo de jornalista, o que ele não é. 
Lula, Simão Jatene, Dilma Rousseff, até talvez se manifestassem no "Caso Maurino", mas para lamentar que sua cassação definitiva ainda não tenha sido decretada pela Justiça.
Sobre o deputado João Salame, estou torcendo para que ele assuma e desmanche as empucas encastoadas na prefeitura há mais de 17 anos.

Caso assuma, João Salame vai ter de desenterrar raízes mais profundas e
maiores de corrupção do que essas aí, enterradas na administração pública