Pages

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Melhor seria que eles estivessem vivos!...

ONU premia brasileiros como “heróis da floresta”

Casal foi assassinado em emboscada
O jornalista Paulo Adario vai receber nesta quinta-feira (9), em Nova Iorque (EUA), o prêmio “Herói da Floresta”, da ONU. Além de Adario, a ONU vai premiar como “heróis da floresta” Paul Nzegha Mzeka, (Camarões), Shigeatsu Hatakeyama (Japão), Anatoly Lebedev (Rússia) e Rhiannon Tomtishen e Madison Vorva (Estados Unidos).
Conferido pela primeira vez, o prêmio da ONU é o reconhecimento à contribuição de “inúmeros indivíduos ao redor do mundo que dedicam suas vidas para ajudar florestas de formas silenciosas e heróicas”. O prêmio será entregue durante a cerimônia de encerramento do “Ano Internacional das Florestas”, comemorado pela ONU no ano passado.
Paulo Adario é diretor do Greenpeace Brasil. Em 2001, levou uma equipe para ajudar a tribo indígena a demarcar e proteger as suas terras. A iniciativa resultou na proteção de 1,6 milhões de hectares de floresta. É um dos pioneiros na coordenação internacional de campanhas públicas de combate ao desmatamento e na defesa de soluções sustentáveis para a região.
A ONU mudou a programação para conceder um prêmio especial ao casal de líderes extrativistas José Claúdio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo da Silva. Ambos foram assassinados no final de maio do ano passado numa emboscada no município de Nova Ipixuna, no sudeste do Pará.
Como o jornalista Felipe Milanez concorria ao prêmio “Herói da Floresta”, a ONU viu o documentário dele, “Toxic Amazon”, ficou impressionada com a história do casal e decidiu prestar homenagem a Zé Cláudio e Maria.
Estava previsto apenas prêmio para heróis “vivos”, mas Aline Fonseca e Barbara Soalheiro, do TEDxAmazonia, que inscreveram Milanez, também inscreveram o casal.
- É uma honra imensa contribuir para o reconhecimento da luta deles, que eu tive a chance de conhecer em vida. Será exibido um trecho do meu filme – disse Milanez ao Blog da Amazônia. Ele está em Nova Iorque com Laisa Santos Sampaio, que representa a família de Zé Cláudio e Maria. Laisa é irmã de Maria.
Lisa e Milanez
Por: Altino Machado
Fonte: Blog da Amazônia 

O caso das lideranças ameaçadas na Amazônia

Representantes da CPT de Marabá, do Movimento Humanos Direito (MHuD), da Terra de Direitos e da Fetagri, tiveram audiência no último dia 7 de fevereiro no Palácio do Planalto, com o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria Geral da Presidência), para discutir medidas de governo necessárias para garantir a seguranças de lideranças ameaçadas na Amazônia. A audiência foi solicitada pelo MHuD,  que congrega artistas e intelectuais do Rio de Janeiro.
Na audiência, segundo o advogado José Batista, da CPT Marabá, foram apresentados dados da gravidade da situação na região e depoimentos de lideranças ameaçadas. A expansão violenta do agronegócio de grãos, da pecuária extensiva, dos projetos de mineração, da exploração ilegal de madeira e a grilagem de terras, foram apresentadas como as principais causas das ameaças, dos conflitos e das mortes na região. Foi ressaltada a inoperância do INCRA na solução dos conflitos, os limites do Ibama e da Polícia Federal no combate aos crimes federais, o que agrava ainda mais a a insegurança e a violência.
Frente à situação apresentada o Ministro determinou/informou que:

•    A Secretaria de Direitos Humanos, conclua a triagem sobre a relação de ameaçados entregue pela CPT e audiência anterior e garanta a proteção para todas as lideranças em situação de risco e, de imediato, o caso da professora Laísa Sampaio, irmã de Maria do Espírito Santo, assassinada junto com seu esposo em maio do ano passado;
•    O governo vai se empenhar na aprovação do marco regulatório do Programa Nacional de Defensores de Direitos Humanos, tornando-o de fato, um programa de governo;
•    Dará continuidade à operação “defesa da vida” com ações integradas da Polícia Federal, IBAMA e Força Nacional no combate aos crimes federais na região;
•    Reforçará a atuação do INCRA nas regiões de maiores conflitos na Amazônia;
•    O governo, através de palavra da Presidente Dilma, assumiu o compromisso trabalhar pela aprovação da PEC do Trabalho Escravo, este ano;
O Ministro propôs ainda a continuidade das audiências, com ampliação dos movimentos sociais envolvidos na mesma causa, ao menos de dois em dois meses, para avaliação dos compromissos assumidos.

Candidata diz que Maurino financia campanha em Brejo Grande

Contribuinte marabaense aquece candidatura em Brejo Grande

Leitor que pede para preservar seu nome levanta uma questão “política e jurídica” que para ele vem acontecendo sistematicamente em Brejo Grande do Araguaia.
A ex-vereadora Ana Paula (assessora do prefeito Maurino Magalhães), apresentou-se como pré-candidata a prefeita daquele município e,em razão disso, “vem apresentando como proposta que tem 1,5 milhão para gastar patrocinada pelo prefeito Maurino. Isso é exposto abertamente para quem queira ouvir.”
Mas como Maurino disporá de tanto dinheiro para uma eleição em um município que não tem metade desse recurso mensal de FPM?, indaga o leitor.
“O pior, acrescenta, é que ela já vem usando a máquina da prefeitura marabaense para a sua pré-campanha, inclusive levando o SACI para lá, onde pessoas indicadas por ela tiram carteiras de identificação. Ano passado ela fez açudes em fazendas com tratores locados pela prefeitura de Marabá. Então, me mostre a motivação de Maurino para querer um empréstimos de 70 milhões de reais, sendo que ele já gasta consideravelmente para eleger umas simples assessora sua, sem significância para a municipalidade? Acho que esse é o papel da mídia, mostrar e procurar a verdade. Então está aqui a ponta do rabo do bicho!”

Pescadores de águas turvas. E bota turvas nisso!...

Canaã dos Carajás e Chico da Pesca

shot010
O prefeito de Canaã dos Carajás, Anuar da Silva (PDT), foi afastado, ontem, do cargo por decisão liminar do juiz da Comarca do município, Lauro Júnior, em processo movido pelo Ministério Público Estadual (MPE).
A ação movida pelo MPE fundamenta-se em farta documentação entregue, em 2011, pelo vice-prefeito do município, Itamar da Silva (que assumiu a prefeitura ontem), e diversas lideranças da sociedade civil local, demonstrando supostos desvios de verbas públicas que chegariam a cerca de R$ 15 milhões.
O prefeito nega todas as acusações e, em nota, declarou que recorrerá da decisão que o afastou. Os tribunais de todo o Brasil, regra geral, revogam decisões de 1ª instância que afastam chefes de poder executivo, caso os motivos que fundamentaram o afastamento não sejam absolutamente consistentes.
Enquanto uma liminar afastava o prefeito Anuar da Silva, em Canaã dos Carajás, em Belém, o Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) em decisão, também de ontem, deitou por terra a liminar que mantinha o mandato de deputado estadual Chico da Pesca (PT), que responde a processo por captação ilícita de sufrágio nas eleições de 2010.
chico
Mas, a decisão do TRE-PA, que ainda, não foi publicada, pode não encerrar o fato: Chico da Pesca deverá recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral, onde  poderá pleitear efeito suspensivo ao recurso.
Caso o TSE defira o pedido, os efeitos do acórdão do TRE-PA ficarão suspensos até o trânsito em julgado da decisão, que, como sói saber, pode demorar um mandato inteiro. (Parsifal Pontes)

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Esse rabo tem dono

Indicado pelo deputado estadual João Salame (PPS),o gerente geral Pedro Lima foi demitido do Detran. Gilson Dias, integrante do setor administrativo da 11ª Regional de Saúde e igualmente ligado a Salame, já foi ou será dispensado do governo de Simão Jatene.
A defesa da criação do Estado de Carajás pode ser uma das causas. Outra, a sucessão municipal em Marabá e, neste caso, não é difícil identificar a impressão digital e o rabo inescondível de quem está por trás da temporada de caça a bruxas e cabeças premiadas.
Triste e lamentável politicalha que nos azucrina!

Em Marabá, a Comissão Nacional de Combate à Violência no Campo

A Comissão Nacional de Combate à Violência no Campo, presidida pelo Ouvidor Agrário Nacional, desembargador Gercino da Silva Filho, promove nesta sexta-feira, 10, na sede do Incra em Marabá, a sua 305ª reunião de trabalho, objetivando discutir vários temas relativos a conflito no campo. O desembargador Otávio Marcelino Maciel, ouvidor agrário do TJPA, que integra a Comissão, participará da reunião.
Às 9h, os integrantes da Comissão debaterão os conflitos agrários referentes à fazenda Divino Pai Eterno, localizada no município de São Félix do Xingu, e às fazendas da Agropecuária Santa Bárbara Xinguara S.A., situadas na região sul do Pará. No período da tarde, às 15h, a Comissão irá discutir conflitos agrários diversos que estão na jurisdição da região Sul do Pará.

Outros olhares

Até o dia 7 de março está aberta a inscrição à III Mostra Fotográfica Ver-a-cidade, categorias amador e profissional, mais uma iniciativa da Galeria Vitória Barros, nesta cidade, e que tem contribuído ao longo dos anos de trabalho na região para discussão e incentivo à produção visual e fotográfica em Marabá. Em 2010, lançou a I Mostra Fotográfica de Marabá – Ver-a-Cidade, com o tema: ‘Trazendo Múltiplos Olhares’ – em homenagem à passagem do aniversário de Marabá. Em 2011, realizou a II Mostra.
O concurso tem caráter exclusivamente cultural, sem qualquer modalidade de sorteio ou pagamento, e para dele participar não é necessária a compra de qualquer bem, direito ou serviço da empresa promotora ou de terceiros.
Diferentemente dos anos anteriores, esta versão 2012 terá duas categorias: fotógrafos profissionais e amadores. Quanto ao uso dos equipamentos não terá diferença (se máquina profissional, câmera de mão, celular ou outras mídias móveis). Mais informações no blog do evento (veracidademaraba.blogspot.com). 

Se fosse só lá...

Horror no hospital de Altamira 
A falta de limpeza, de destinação correta do lixo, de remédios, de água potável, de equipamentos de proteção e a existência uma série de outras deficiências de infraestrutura e gerenciamento estão colocando em risco a saúde dos pacientes do hospital municipal de Altamira, no Pará. Nem alvará o hospital tem. Sem conseguir resposta do poder público para essa situação, o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado (MP/PA) tiveram que recorrer à Justiça, por meio de ação ajuizada na última segunda-feira, 6 de fevereiro.
Na ação, os procuradores da República Bruno Alexandre Gütschow e Cláudio Terre do Amaral e as promotoras de Justiça Silvana Nascimento Vaz de Sousa e Amanda Luciana Sales Lobato pedem que a Justiça determine a tomada de providências urgentes pela União, Estado e município.
O MPF e o MP/PA querem que a Justiça obrigue o poder público a tomar iniciativas como a manutenção periódica de máquinas e equipamentos, reformas no prédio, aquisição de materiais e medicamentos, contratação de profissionais, tratamento correto da água e aumento da fiscalização sobre a atuação dos funcionários.
Também foi solicitado na ação que o poder público federal, estadual e municipal providencie um plano de gerenciamento dos resíduos sólidos para o hospital. Atualmente todo o material descartado vai para o lixão de Altamira, sem nenhuma espécie de tratamento.
Em inspeções feitas pelo MPF e pelo departamento de auditoria do Sistema Único de Saúde (SUS), seringas usadas e outros resíduos hospitalares foram encontrados no chão da área interna do hospital e na rua.
Horror – O caos no gerenciamento do hospital faz lembrar filmes de horror. Há casos de pacientes cujas roupas ficam sujas de sangue durante dias. As placentas são descartadas em uma fossa sem vedação adequada, exalando mau cheiro. Existem fossas já desativadas que estão com as tampas de concreto quebradas, informam relatórios de técnicos e engenheiros sanitaristas.
Desde 2009 o MPF vem cobrando do poder público a solução para problemas como esses, mas quase nada foi feito. “As condições precárias do Hospital Municipal São Rafael são atos claramente atentatórios à dignidade de qualquer ser humano que de seus serviços necessite”, diz o texto da ação. “Seres humanos devem ser tratados como tais, não importando sua situação econômica”.
O MPF e o MP/PA alertam à Justiça que a situação viola os direitos não só da população de Altamira, mas também de outros municípios da Transamazônica. “Acrescente-se, ainda, para agravar a situação, o fato de já estar havendo uma crescente migração de pessoas para o município de Altamira, atraídas pelo empreendimento denominado UHE Belo Monte, fato este que aumentará consideravelmente a demanda do referido hospital público”, registra o texto da ação, para, em seguida, complementar com a informação de que a estimativa oficial é que a hidrelétrica deve atrair cerca de cem mil migrantes para a região.

Bem vindo de volta à TOAM!

No Patrick Roberto Carvalho:

Rildo Brasil volta à rotina sem o cálculo renal

Na semana em que comemorou 46 anos, o cartunista e artista plástico Rildo Brasil diz que a vida voltou ao normal depois da cirurgia a que se submeteu para retirada de pedras dos rins, a maior delas medindo 3 cm. A cirurgia, feita no Hospital São Marcos, de Teresina (PI), ocorreu em 30 de novembro de 2011, mas o paciente ficou 41 dias fora de Marabá por conta do tratamento. O custo, estimado por ele em R$ 11.800, foi coberto com a colaboração de colegas e da Imprensa, que organizaram ações entre amigos para levantar o recurso.

“Não sinto mais aquelas dores horríveis que me impediam de trabalhar e até de raciocinar direito. A vida mudou bastante”, relata em tom de comemoração, porém destacando que precisará voltar a Teresina para uma segunda intervenção cirúrgica, uma vez que os médicos identificaram ter deixado uma pedra, ainda, abaixo dos rins, de 7 milímetros. “Eles admitiram que foi uma falha e vão fazer a outra intervenção”, adianta.

Depois da cirurgia, Rildo voltou para Marabá com passagem doada por um outro amigo. Questionado quanto ao recurso levantado com as ações solidárias em seu favor, ele diz que chegou ao montante R$ 12 mil, cobrindo todos os custos. Uma dessas ações foi um torneio de futebol organizado pelos profissionais de Imprensa na Academia Engenho Novo.

“Todos foram fundamentais. Foi com esse momento que passei na minha vida, que pude ver quantos amigos tenho e do que eles são capazes. Sou grato a todos e estou aqui de volta para viver uma vida normal”, diz.

O tipo de cirurgia a que Rildo se submeteu é considerado pouco invasivo, uma vez que se utiliza de laparoscopia, técnica cirúrgica que utiliza apenas pequenas incisões entre 0,5 e 1,0 cm para observar o interior da cavidade abdominal e os órgãos aí presentes, através de lentes potentes, microcameras e monitores de vídeo (televisão).

Tuna faz bacalhoada com mapará

Tuna vence Cametá de 4 a 1

Galera cruzmaltina festeja a grande vitória
A Tuna começou de forma surpreendente sua participação nas semifinais do primeiro turno do Campeonato Paraense. A Lusa não tomou conhecimento do Cametá e aplicou 4 a 1 no adversário, ontem à tarde, no estádio Francisco Vasquez. A vitória tunante não só acabou com a invencibilidade do Mapará, que não perdia há sete jogos, mas também assegurou uma boa vantagem ao time para o jogo de volta entre as equipes, sábado, em Cametá. A Lusa pode perder a segunda partida por até dois gols de diferença que ainda assim carimba participação à fase final da Taça Cidade de Belém, contra o vencedor da disputa entre Remo e Águia. (O Mocorongo)

Quem vai abrir a caixa-preta 3?

Da Terra do Nunca, de Chagas Filho:


Mais uma morte

Nenhum médico trabalha com a intenção de ver um paciente morrer nas suas mãos, ainda mais quando se trata de um procedimento relativamente simples, como é o caso de um parto. Mas as mortes de bebês, as crianças sequeladas e agora a morte de uma parturiente no Hospital Materno Infantil são um alerta de que algo precisa ser feito urgentemente em relação à única maternidade pública de Marabá.
Não vamos falar especificamente deste caso da jovem Marilene dos Santos Dias, de 18 anos, que morreu logo depois de dar a luz no HMI. Analisemos a situação como um todo. Os casos semelhantes estão ocorrendo em frequência tal que daqui a pouco a regra poderá será a morte e a sequela e não a vida, como tem que ser.
O pior de tudo é que a troca de secretário de Saúde, como uma tacada de varinha de condão não está tendo efeito positivo algum.
Falta abrir a caixa preta do Hospital Materno Infantil, pois as mortes anunciadas estão mais anunciadas do que nunca.
Talvez se os filhos dos governantes fossem obrigados a nascer no Materno Infantil essa realidade seria diferente.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Pará tem mais de 250 mil crianças fora da escola

fotos ilustrativas



No Brasil, 3,8 milhões de crianças e jovens de 4 a 17 anos estão fora da escola. Em números absolutos, o Estado que tem mais crianças e jovens nesta situação é São Paulo, com mais de 607 mil potenciais estudantes que têm seu direito à Educação negado. Na sequência, aparecem Minas Gerais (363.98), Bahia (277.690) e Pará com 256.323. O Estado com menos crianças e jovens fora da escola é Roraima, com 18.286. Os dados divulgados ontem, pelo movimento “Todos pela Educação”, foram levantados com base no resultado preliminar do Censo de 2010.
Com o maior número de jovens em idade escolar (17,3 milhões), a região Sudeste registra o maior número de crianças e adolescentes fora da escola (1,27 milhão). Na região Norte são 579,6 mil jovens que não estão estudando. A falta de atendimento escolar no Brasil é mais acentuada entre crianças de 4 a 5 anos (1.156.846 estão fora da educação infantil) e jovens de 15 a 17 anos (1.728.015).
Nestas faixas etárias, a pior taxa de atendimento no Pará é no grupo de crianças de 4 a 5 anos. Segundo o estudo, mais de 85 mil crianças estão fora da escola. O índice de atendimento nesta faixa é de 72,3%, considerado baixo pelos educadores. Os melhores índices no Pará estão na faixa de 6 a 14 anos, com 94,5% desta população tendo acesso à educação.
As taxas de acesso à Pré-Escola em todo o país permanecem em patamares muito mais baixos que os estabelecidos pelas metas do “Todos Pela Educação”. O Norte do país, em particular, tem a menor taxa de atendimento nesse nível de ensino, com 69,0% das crianças de 4 e 5 anos com acesso aos sistemas de ensino e mais de 201 mil fora da escola.
O atendimento a crianças e jovens de 6 a 14 anos, já se encontra em patamares mais elevados: 96,7% daqueles nesta faixa etária (Diário do Pará)

Calote leva Leão Ambiental à desistência

Com exceção da coleta de lixo, a empresa Leão Ambiental devolveu hoje à prefeitura de Marabá os serviços de limpeza urbana  por falta de pagamento. Fontes ligadas à empresa falam no atraso de quase nove meses, totalizando aí um saldo devedor à Leão Ambiental de mais de 13 milhões de reais. A empresa ficaria apenas com a coleta de lixo.

A informação é de leitor de Quaradouro (que assina Vendedor de Sonhos), indagando sobre quem vai pagar os direitos trabalhistas dos servidores da Leão Ambiental, já que a "ela (Leão Ambiental), não recebe nada ou quase nada da prefeitura?"   


Antigamente também tinha Seasp?

No Terra do Nunca, do Chagas Filho:

Até ontem (6), os telefones da Secretaria de Assistência Social da Prefeitura (Seasp) estavam devidamente cortados por absoluta falta de pagamento. É brincadeira!

Telefone cortado, eu não sei se antes não tinha, mas agora tem.

CBF anuncia mudança na Série C e vai bancar custos

As diretorias dos clubes participantes do Campeonato Brasileiro da Série C receberam ótimas notícias no início da tarde de ontem. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) informou, através do site da entidade, que vai bancar os principais gastos das equipes durante a disputa da Terceirona de 2012, além de promover uma série de outras alterações no formato da competição. A partir do momento em que o novo modelo for colocado em prática, Águia e Paysandu, os representantes do Pará na terceira divisão, vão ter mais verba do que nos anos anteriores para investir no elenco.
Com as mudanças já estabelecidas, a competição não vai mais ter quatro grupos de cinco equipes - como aconteceu no ano passado -, e sim duas chaves de dez times, com jogos de ida e volta, em turno e returno. Os quatro primeiros colocados de cada grupo garantem vaga para as quartas de final, quando os grupos vão se cruzar em sistema de mata-mata. A partir daí, os quatro semifinalistas já estarão automaticamente garantidos na Série B de 2013.
No entanto, a principal novidade e também a mais benéfica aos clubes é na parte financeira. A partir deste ano, a entidade máxima do futebol nacional vai bancar o transporte dos participantes, hospedagem, alimentação, os gastos com arbitragem e o deslocamento de até vinte e cinco pessoas por delegação das equipes. A terceirona também vai passar a ter o calendário mais extenso, parecido com o das outras divisões do futebol brasileiro, com as partidas marcadas apenas para os finais de semana, disputadas até meados de novembro e não até outubro, como estava previsto inicialmente.
A tabela ainda não está formulada, mas a princípio, a Série C deve ter início no dia 27 de maio e vai até novembro. (Diário do Pará)

Na briga dos caciques, o Pará que se lasque



Clonado de O mocorongo:

Nova minissérie - O passado de Jader Barbalho

Sarney e Jáder, a dupla do barulho.
Por Maria Lima, O Globo
Não vai ser fácil a vida do senador Jader Barbalho (PMDB-PA) em sua volta ao Senado. No primeiro dia em que ele apareceu no plenário, foi bombardeado pelo senador Mário Couto (PSDB-PA), que iniciou o que ele chamou de “minissérie” para revisitar todo o passado do conterrâneo, mostrando a cada capítulo os processos que ainda enfrenta na Justiça, sua prisão e o processo de enriquecimento espetacular na vida pública. Couto disse que o Senado está conspurcado com a presença de Jader.
- Essa minissérie vai ter outros personagens. O Pedro Taques, que mandou prender Jader, por exemplo. Ele vai aparecer algemado nessa minissérie. O meu braço não tem marca de algemas - atacou Mário Couto, dizendo que não tem medo de Jader, que enfrentou o todo poderoso Antonio Carlos Magalhães no passado: - Se querem briga, vamos para a briga, vamos para o pau! Cada um sabe como fede! Pode vir quente que eu estou fervendo!
Ao ser perguntado se responderia, Jader respondeu com uma gargalhada, deus as costas e deixou o plenário para não assistir o discurso do tucano. - Estou aqui para reaprender - disse Jader, rindo e deixando o plenário.
Couto quer dar o troco pelo tratamento dado pelo jornal Diário do Pará, que integra um império de comunicação da família Barbalho, a uma investigação sobre sua suposta participação em um esquema de desvios na Assembleia Legislativa do Pará, do qual foi inocentado pelo Ministério Público. No capítulo de hoje, ele promete mostrar documentos sobre o patrimônio de Jader.
O senador paraense lamentou que Jader tivesse deixado o plenário para não ouvir seu discurso. - O porco sabe o pau que se esfrega... 

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Alô, desprefeitos! Olhem o apelo aí, rapá!

O fim do mundo

                                                  Mito ou realidade?

Um líder religioso da ancestral cultura maia pratica um ritual em terras guatemaltecasPara muitos, o fim do mundo tem dia, mês e ano: 21 de dezembro de 2012. Nesta data, a Terra vai deixar de existir como a conhecemos e a continuidade da espécie humana correrá risco. Pelo menos, esse é o rumor que circula pela internet. O calendário Tzolkin, um dos 20 cálculos de tempo que os maias utilizavam, afirma que 2012 põe um fim ao que chamam de "a conta longa", um ciclo de tempo que começou em 3113 a.C. Segundo Enrique De Vicente, jornalista especializado em temas para científicos desde 1968, este dado é relevante porque a cultura maia deixou um legado de conhecimento astral "tão preciso que assombra matemáticos e astrônomos". E por isso a crença de que algo importante acontecerá em 2012 ganha força.
2012, o rumor do fim do mundo
Embora o fim de um ciclo não represente a destruição da Terra, 2012 se transformou em um "ano apocalíptico", no qual alguns veem preocupações e outros, negócios.
Para os sacerdotes maias 2012 significa uma mudança de consciência para o homem, que deve comungar com a Terra e o cosmos. De Vicente, que além disso dirige a revista "Ano Zero", publicação sobre esoterismo e ciências ocultas, afirma que "na rede há desinformação e os responsáveis são a onda de rumores e filmes, como "2012". Roland Emmerich, diretor desta produção e de outras como "Godzilla" e "O Dia Depois de Amanhã" é, segundo De Vicente, "um produtor de temas apocalípticos porque vendem, e ele fez uma manipulação com esse interesse". O especialista assinala que "Hollywood faz o que dá dinheiro e manipula muitas coisas ao serviço do sistema". Mas, a indústria cinematográfica não é a única que tem benefícios com a alarmante situação.
A contagem regressiva
Faltam pouco mais de um ano para que a famosa data chegue, embora o número exato e atualizado, com horas, minutos e segundos seja exibido em vários sites, que multiplicam suas visitas à medida que o tempo passa. "Nos dias anteriores ao terremoto do Japão, este blog tinha cerca de 400 visitas diárias. Desde o dia do terremoto as visitas passaram das 4.000", afirma um dos posts de www.findelmundo.net, onde podem ser encontrados todo tipo de conteúdos referentes ao tema. Perante o alarme fatídico, há quem se dedique a preparar a humanidade. Para isso, no blog "www.2012findelmundoverdad.com" é oferecido o "Guia Dezembro 2012", que custa US$ 49,90 ou 38,89 euros, um preço razoável para que lhe digam "como ficar no alto depois da catástrofe". Um pouco mais baratos são os bilhetes vendidos em "www.escapeearth2012.com", cuja reserva assegura uma vaga na nave que viajará para um novo planeta quando a Terra for destruída.
O terremoto do Japão comoveu o mundo e gerou reflexões sobre uma possível mudança no funcionamento da Terra. Estas questões podem provocar risos de muitos mas, no entanto, há quem foi contaminado pelo rumor alarmista. 
A verdade maia
De Vicente assegura que "no Ocidente, o número de pessoas que acredita no fim do mundo é mínimo, no entanto essa tendência catastrofista é muito superior em outros lugares como Índia e Japão". Na atualidade, assinala o especialista, "muitos maias, a maioria analfabetos, pensam que o mundo vai acabar, não porque seus sacerdotes tenham dito, mas porque este é o rumor que corre". Como De Vicente destaca, "para os sacerdotes, 2012 não significa nenhuma destruição, mas uma mudança de consciência que pode interpretar como o ser humano se considera parte da terra e do cosmos, porque, se não existe uma harmonia, tudo está ruim".
Realidade ou mito? Esta cosmovisão tem um sentido para Enrique de Vicente, que reflete sobre eventos recentes como os terremotos catastróficos da Indonésia, Japão e Chile, "três dos sete maiores acontecidos na história". Embora o jornalista rejeite o famoso e atual rumor sobre o fim do mundo, ele reconhece que "o planeta está passando por um momento de transformação e haverá pessoas que vão tomar consciência. E outras que não".
Foto 1-Um líder religioso da ancestral cultura maia pratica um ritual em terras guatemaltecas . Para os sacerdotes maias 2012 significa uma mudança de consciência para o homem, que deve comungar com a Terra e o cosmos.
Foto 2-Para os sacerdotes maias 2012 significa uma mudança de consciência para o homem, que deve comungar com a Terra e o cosmos.
Foto 3-O terremoto do Japão comoveu o mundo e gerou reflexões sobre uma possível mudança no funcionamento da Terra.
Autora: Laura G. Orihuela
Fonte: Blog Faro Fino

Faz sentido...

Frase premiada

shot004
A frase do quadro foi recebida em um comentário anônimo que informa ter sido ela “premiada na Escola Presidente Getúlio Vargas, em Aracaju.”.
A espiritualidade do brasileiro é uma arte. (Parsifal Pontes)

Marabá virou cidade dos lixões. É o Povo Governando...

Entulhos se formam em vários bairros de Marabá, principalmente nas áreas mais periféricas

Lixo continua espalhado na cidade
Anderson Damasceno

Jornal Opinião

Quem recebe o serviço de coleta do lixo público, diariamente, à porta de sua casa, já pode ser rotulado com o status de privilegiado. Agora, a pessoa que não mora em bairro nobre, ou ao longo das vias principais de um, está relegada a conviver uma ou mais semanas sendo vizinha do lixão.
Na edição 2.138, de 28 de janeiro, a reportagem flagrou parte das perturbações que a população do Bairro Liberdade – Núcleo Cidade Nova – tem que engolir a contragosto.
A Travessa Novo Planalto permanece isolada em alguns pontos por causa do lamaçal e buracos que, embora não sejam garagens, comportam um ou mais carros com facilidade. Basta ver quando eles caem lá, o alarde toma conta do local.
Aliás, a dona de casa, Vera Dutra, lembra que foi para evitar esses e outros tipos de acidentes, que um grupo de moradores edificou, à base de madeira, “muros” que impedissem a passagem de veículos e, malmente, de pessoas. Ainda hoje a buraqueira parece não ter fim e ninguém quer saber de carros passando por lá, pois, só a chuva agrava bastante essa via.
Além disso, na mesma reportagem foi verificado que era de longa data o acúmulo de detritos lançados na esquina da Avenida Gabriel Pimenta com a Travessa Nossa Senhora Aparecida. E, o que antes não tinha, agora tem. Junto ao lixo se encontra também móveis safados bem como imensos galhos de árvore.
Passadas quase duas semanas, não tardam que estas vias sejam completamente tomadas à modelo dos grandes lixões.
Um dos moradores mais afetados por esse descaso é Cleiton Araújo. Ele vê que a Leão Ambiental passa diariamente na Avenida Boa Esperança, que fica paralela à Gabriel Pimenta. Poucos metros separam a avenida limpa da suja.
“Aqui a situação só não está pior porque, o outro vizinho, fica jogando fogo aí para diminuir o lixo”, afirma Araújo. Quem é que vai levantar a bandeira do que é ou não é “ecologicamente correto” nessas horas?

HMI: Quantos mais morrerão? Desta vez foi uma parturiente de 18 anos.

No Correio do Tocantins
07/02/2012
 Morte materna no HMI está envolta em mistério
 
Marilene dos Santos Dias, 18 anos, deu entrada no Hospital Materno Infantil na noite de domingo, 5, para ganhar o terceiro filho. Na manhã de ontem, todavia, seu corpo saiu pela porta do fundo, transportado na maca de uma funerária, diretamente para o IML. A morte da jovem está cercada de interrogações que ainda não foram respondidas pela direção daquela maternidade.

Lucilene Santos, irmã de Marilene, explica que a parturiente deu à luz o filho, mas logo depois do parto, estranhamente, teve complicações, passou mal e acabou morrendo. “Eles (equipe do HMI) dizem que foi hemorragia, mas a gente que saber qual foi a causa da morte dela mesmo, se houve negligência médica”, disse a irmã.
Raimundo Dionísio Viana, outro irmão de Marilene, disse que ela deu à luz a seu filho durante a madrugada e por volta de 6 horas falece, mas adverte que as peças não se encaixam, não dar para saber do que sua irmã, de fato, morreu logo após o parto. “Falam em hemorragia, mas não dizem o que causou essa perda de sangue. Pode ter sido erro médico”, diz, dizendo que a família vai aguardar o laudo do IML.
Marilene, segundo ele, já tinha concebido outro filho, por parto cesariano, mas sem nenhuma intercorrência. O bebê que nasceu na madrugada de segunda-feira, era do sexo feminino e está internado na UCI (Unidade de Cuidados Intensivos) do HMI e deverá receber alta nos próximos dias.
Além da dor da morte de Marilene, a família enfrentou uma via crucis para conseguir velar o corpo da parturiente. De início, depois que foi liberado pelo HMI, foi levado para o IML, mas depois a própria família teria pedido para não realizar a necropsia, por entender que demoraria muito e eles queriam acelerar o processo.
O delegado de plantão, Thiago Santos da Silva, acabou aceitando a justificativa da família e determinou a liberação do corpo. Todavia, algumas horas depois, misteriosamente ele e uma equipe da PM, mais a viatura de uma funerária, foram à casa da família, no bairro São Félix Pioneiro, para levar o corpo de volta ao IML, para necropsia.
HMI 
A reportagem encontrou grande dificuldade para ouvir a versão do Hospital Municipal sobre o assunto. Só depois da intervenção do secretário municipal de saúde, Nilson Piedade, é que conseguiu-se falar com o diretor técnico, Charles Santos. Ele explicou, ontem à noite, que não teve acesso ao prontuário da parturiente e que só hoje, terça-feira, 7, vai conversar com a equipe que fez o parto de Marilene para saber o que de fato aconteceu e depois dará esclarecimento por escrito à Imprensa.
Ele só sabia que Marilene foi operada e passou mal. “A família estava tranqüila, inclusive uma irmã da parturiente, Marlene Santos, trabalha no HMI e acompanhou e viu tudo”, explicou.
Ainda de acordo com o diretor técnico, será avaliado se durante o parto houve embolia ou parada cardíaca. Questionado pela reportagem, ele não soube informar se Marilene fez o pré-natal adequadamente.
Polícia
O delegado Thiago Santos da Silva, de São Geraldo, disse que houve erro de comunicação entre a Seccional, IML e Delegacia de Homicídios. Quando ele ficou sabendo do caso, de imediato, junto com o delegado Renan, determinou a volta do corpo para necropsia. “Fomos informados que ela entrou em trabalho de parto, mas acabou morrendo. Abrimos inquérito para apurar o que aconteceu”, disse. (Ulisses Pompeu)

Reflexos do baile de Ana Júlia

No Parsifal Pontes:

O esquecido caso “Assets Consultoria”

Trindade
O ex-secretário de Fazenda do governo Ana Júlia, José Trindade, assim como os demais doutores que derrotaram a ex-governadora, além de ser dono de uma cordial antipatia, ostenta um doutorado em Economia na espécie Dívida Pública.
Trindade, do alto da sua soberba, concluiu que apenas ele sabia destrinchar a dívida pública do Pará, mas, com outras coisas com as quais se atarefar, resolveu contratar uma empresa mineira de consultoria, a “Assets Alicerce LTDA” para a gloriosa tarefa.
O recebimento de R$ 27 milhões pela “Assets”, pagos pela SEFA no meio da recandidatura de Ana Júlia, juntamente com as contas mal prestadas do empréstimo de R$ 366 milhões, que se perderam por tortuosos atalhos contábeis, tinham tudo para se transformar em um dos maiores escândalos financeiros que um governo já patrocinou no Pará, mas, mal a imprensa tentava sistematizar as manchetes sobre os assuntos, um outro escândalo levantou-se: as fraudes na Assembleia Legislativa.
Como a imprensa brasileira não tem processamento paralelo e a maioria dos leitores tem leitura preemptiva, qualquer novo episódio sufoca o anterior, e quem ousa tocar, no meio da tempestade que cai, na violência da procela anterior, é acusado de diversionismo: o famoso “quer desviar a atenção”.
Mas, eis que não se finou de todo o episódio “Assets”, que nos corredores da SEFA passou a se chamar “acerto”: os ex-secretários Trindade e Vando Vidal, prestaram depoimento no dia 25.01.2012, em procedimento administrativo-disciplinar aberto pela Corregedoria da SEFA, que apura o caso e, comme il faut, nada esclareceram.
O Estado, nos seus próprios quadros, tem pessoas qualificadas para fazer qualquer serviço, mas, os órgãos subestimam a aptidão dos seus técnicos, preferindo importar caras soluções exógenas, porque as vias oblíquas não podem ser efetivadas com as providências domésticas.
É hora de acabar com esta pantomima de importar doutos consultores a preços milionários: nem que seja absolutamente republicana a contratação, os agentes públicos estão tão sem fé pública que ninguém acredita que ali não está perpetrado um ato de corrupção.
Ou damos um jeito de tratar o erário com mais consequência, ou vamos todos juntos, inocentes e pecadores, para o quinto dos infernos, se é que já não estamos nele.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

STJ nega liberdade a acusado de matar missionária Dorothy Stang

N'O Mocorongo

FotoDOROTY STANG FOI MORTA EM 2005
O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou pedido de liminar de Regivaldo Pereira Galvão, o Taradão, condenado a 30 anos de reclusão pela morte da missionária Dorothy Stang. Para o relator do caso, desembargador convocado Adilson Vieira Macabu, não há elementos que justifiquem a libertação do réu. Dorothy foi assassinada em fevereiro de 2005, no interior do Pará. Galvão seria um dos responsáveis por encomendar a morte da missionária. Ele foi condenado a 30 anos de reclusão e o Tribunal de Justiça do Pará, ao rejeitar a apelação, decretou sua prisão cautelar. O pedido de habeas corpus foi feito para que o réu pudesse permanecer em liberdade até o julgamento do último recurso contra a condenação.

Maurino vai renunciar? Já vai tarde!...

Rumores que circulam com muita insistência na cidade dão conta de que Maurino Magalhães (PR) agendou para a próxima sexta-feira (10/02) a sua renúncia do Executivo Municipal.

Ele já estaria convencido de que seu mandato não sobreviverá ao julgamento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) provavelmente no dia 15 deste mês e pensa que, renunciando, escapará da pena subsidiária da suspensão de seus direitos políticos.
Maurino Magalhães e seu vice Nagilson Amoury foram cassados dia 3 de outubro de 2011 pela juíza eleitoral Claudia Regina Moreira Favacho Moura, acusados da prática de “caixa 2” na campanha eleitoral de 2008.

Projeto de Medicina da Uepa começa neste semestre

Prevista para amanhã, terça-feira (07), antes da Aula Magna  na Universidade do Estado do Pará (Uepa) - evento que marca o ingresso dos calouros no ensino superior -, solenidade de doação de um terreno da prefeitura anexo ao campus, onde será construído um novo Pólo de Formação em Saúde, voltado ao atendimento de toda a população do sudeste paraense. A licitação das obras exigidas para a chegada do curso deve acontecer entre fevereiro e março desse ano, de acordo com a Gestão Superior.
O campus de Marabá começa ainda em 2012 o seu processo de expansão, que deve permitir, dentre outras ações, a implementação do curso de Medicina, ponto importante da Agenda Mínima do governo estadual.
As obras devem começar ainda no primeiro semestre desse ano. A solenidade contará com a presença de autoridades do município, da Secretaria Especial de Promoção Social (Sepros), da reitora Marília Brasil Xavier e outros membros da Gestão Superior.
O campus de Marabá foi criado há 18 anos, em 1993, e conta, até agora, com sete cursos de graduação regulares: Biomedicina (com a primeira turma iniciando em agosto de 2012), Engenharia de Produção, Engenharia de Alimentos, Tecnologia Agroindustrial - habilitações em Alimento e Madeira, Licenciatura em Matemática e Licenciatura em Química.
Pelo Plano de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor), executado em parceria com o MEC, são ofertados os cursos de Educação Física, Pedagogia, Licenciatura em Biologia, Licenciatura em Letras e Licenciatura em Geografia.

ALEPA: chegando ao ponto de fadiga

De Parsifal Pontes, deputado raro e que honra o mandato:


A palo seco

shot004
Opina-se um veredito ao recente movimento da deputada Simone Morgado (PMDB), que lançou a Alepa em nova rebordosa antes de se finar a anterior: a motivação reflete desinteligências entre o PMDB e o PSDB.
Depreende-se de tal sentença que se o PSDB cedesse às conveniências do PMDB no arco político das divergências de ambos, as irregularidades declaradas se teriam mantido sob o tapete do Palácio da Cabanagem.
Face ao descrédito que nós políticos portamos, não é possível guerrear outro entendimento: somos mandioca da mesma roça e farinha do mesmo saco.
Destarte, há que se isolar o tumor para lhe compreender a gênese e administrar-lhe o medicamento adequado.
A deputada Morgado não arquitetou uma teoria da conspiração. Não colecionou irregularidades para depois, adrede, quara-las ao sol da imprensa: irregularidades houve.
Em sendo a Alepa uma instituição política, as formalidades administrativas feridas nos procedimentos cotidianos contaminam-se por vicissitudes que revelam “sentimentos ilhados, mortos e amordaçados.”.
Quando a conjuntura se faz desta forma, pouco interessa àqueles que desejam incandescer a fogueira se as irregularidades foram formais ou materiais, ou até mesmo atentar para o fato de que, no caso, a prevenção fez efeito: o controle interno levado a termo pela deputada Morgado evitou supostos prejuízos ao erário.
Se a atitude da deputada peemedebista faz metástase em digressões político- partidárias, cabe às siglas envolvidas corrigir os pingos que se entendem fora dos is, ou tirar alguns is que estejam fora dos pingos.
Todavia, as questões políticas não devem ser anteparo para negligências administrativas. A Alepa não resiste a tão contumaz temporal que lhe enxurra o telhado, a ponto de abaçanar qualquer outra suposta manipulação do erário, alhures.
Chegamos a um ponto de fadiga tal, que somos vistos como não portadores de legitimidade para representar o povo.
Isto se torna tão mais grave quando intui o cidadão que não somente os parlamentares são desnecessários: questiona-se a efetividade do próprio Poder Legislativo, o braço mais eficaz da República na salvaguarda da investida do poder absoluto sobre a nação.
O Parlamento, sempre, é o primeiro que resiste e o último que cai. Quando cai o Parlamento a democracia com ele sucumbe, mas, a nossa covardia política em não discutir, de forma clara e madura, quanto custa, e quanto deve custar, esta salvaguarda, acaba por minar a validade das nossas prerrogativas.
Neste cenário, o contribuinte, não sem razões, confunde privilégios com prerrogativas, almejando por ao chão a Casa, porque nela moram incautos que debitam prerrogativas e privilégios em uma só contabilidade.

Águia perde dentro do Zinho Oliveira

Bastou apenas um minuto de jogo para que o Independente, de Tucuruí, campeão paraense de 2011, mostrasse mais uma vez o calcanhar de Aquiles do Águia de Marabá: a falta de zagueiros e laterais corajosos, capazes de sair para a dividida com os adversários.
Igualmente, o gol de Ró desarmou o manjado esquema tático da equipe marabaense, que voltou desorientada para o segundo tempo e tomou outro gol, agora de Kaká, aos 17 minutos.
No final da partida, Flamel diminuiu numa cobrança de pênalti.
A torcida e parte da imprensa dava a vitória do Águia como favas contadas. O Águia detinha a liderança com 13 pontos e o campeão paraense não contabilizava uma única vitória nas seis partidas anteriores. Ledo engano.
Possivelmente, o Águia enfrenta o Clube do Remo na próxima quinta-feira (9), no estádio Antônio Baena, na capital, na primeira das duas partidas das semifinais do primeiro turno. O Remo perdeu de 2 a 0 para o São Francisco (gols de Emerson Bala), mas assegurou a quarta colocação.
A outra semifinal vai reunir a surpreendente Tuna Luso e Cametá. O resultado de um a um despachou o Paysandu desta fase da competição, derrotado pelo São Raimundo por um a zero.