Pages

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

As mexidas de Salame

No Hiroshi Bogéa:

Presidente da Frente Pró-Estado de Carajás, o deputado estadual João Salame (PPS) usou com extrema habilidade o espaço a ele disponibilizado nos horários do Rádio e TV, durante a campanha do plebiscito, capitalizando para si o bônus da bandeira separatista numa região quase que unanimemente favorável à causa.
Com um olho no peixe e outro no gato, Salame trabalhou a sua indicação à presidência da Frente consciente dos efeitos positivos que o cargo poderia instrumentalizar, pré-candidato em potencial a prefeito de Marabá.
Terminada a campanha, Salame continua articulando o encaminhamento de seu nome, preferencialmente em torno de um grupo político que reúna lideranças emergentes como são os casos do empresário Ítalo Ipojucan (PMDB) e Jorge Bichara (PV) – além de flertar, nas conversas reservadas com a deputada estadual Bernadete tem Caten, com o Partido dos Trabalhadores.
A última manobra calculada de “repercussão ética” foi protagonizada semana passada quando o parlamentar do PPS divulgou o teor de uma carta, enviada ao governador Simão Jatene, renunciando a vice-liderança do governo na AL e disponibilizando os cargos sob sua responsabilidade na máquina administrativa.
Astuto e sensivelmente político, Salame sabe que atitudes como esta ultima referendada tem dois cursos: agregar valor junto ao eleitorado preferencialmente visado agora – o de Marabá -, e propiciar distanciamento da simpatia governamental, num confronto direto com a candidatura do declarado pré-candidato a prefeito do município, seu colega de parlamento Sebastião Miranda (PTB), que teve participação extremamente distanciada da campanha plebiscitária.
Cenário propício à consolidação do motequem foi contra e a favor da criação do Estado de Carajás”.
O que interessa é saber se as estratégias até agora adotadas com inteligência pelo parlamentar lhe serão favoráveis nas pesquisas.
Para sensibilizar potenciais adversários pré-candidatos (Ítalo, Jorge Bichara e Bernadete) de que sua candidatura é a mais viável, numa provável disputa contra Sebastião Miranda e o prefeito Maurino Magalhães, sensibilizando-os a lhe apoiarem, Salame precisa chegar até o final do mês de março bem situado junto a opinião pública marabaense. (Hiroshi Bogéa)

24 comentários:

Paulo Pereira disse...

Caro jornalista Ademir Braz.

Sem dúvida nenhuma a atitude do Deputado João Salame o credencia a merecer cada vez mais o apreço dos que sonham com a volta da ética à politica e à sua prática como a arte de servir aos outros e não a si mesmo.Não deixa, portanto, de ser uma boa sinalização do deputado rumo a prática da boa e saudável politica de que tanto necessitamos.Aliás, o Deputado João Salame é o único em Marabá que possui um projeto politico, todos os outros se movem ao sabor dos acontecimentos, são fruto das circunstancias, ou seja, dependem dos adversários nada fazerem para que possam crescer.Ele só necessita libertar-se do apego ao nepotismo e deixar, também, de querer impor a sua mulher como figura politica que jamais será.No dia em que ele decidir formar um grupo politico e comandar um projeto para Marabá, eu e muitos, estaremos com ele.

Anônimo disse...

Gente,
não se iludam com o João Salame, a postura dele diante do plebiscito tinha que ser aquela mesma, ele é uma pessoa muito inteligênte, mas jamais votaria nele para cargo executivo.Como prefeito DEUS nos livre, se isso ocorrer me falem depois...deixa ele mesmo sempre no legislativo...

Anônimo disse...

Ademir para governar Marabá com seriedade, deveria ser formado um colegiado, um grupo de cinco pessoas, pq até o momento os que se apresentaram no cenário político não inspiram minha confiança, nem do povo dessa cidade.Um colegiado formado por Ademir Bras,Dr.Adailton, Benezilda,Dr.Dega e eu marabaense, que amo minha terra e gostaria de ve-la, florescendo e frutificando para colhermos esses frutos num futuro breve, pois chega de aproveitadores de nossa terrinha querida Ademir.

Anônimo disse...

O joão ttta fazendo cena, se a intenção era se desligar, cortar relações, a primeira coisa a fazer era devolver todos os cargos e DAS que ele deu para os cabos eleitorais, irmãos e amigos.
Oque ele fez? uma cartinha muito mequetrefe, sem muita convicção esperando o governador chama-lo para a conversa.
Esse jogo ele fez com a ana julia e nunca abriu mão dos cargos dado pelo governo.
Na verdade ele deseja usar essa onda do carajas para melhorar sua votação aqui em maraba.

3 de janeiro de 2012 00:51

Leo Gomes disse...

Acho que o Paulo Pereira está equivovcado em um ponto: o JS não é nepotista, nem lhe agrada essa prática. É fácil verificar: na folha de pagamento do gabinete dele não há parentes. E os assessores que estão na folha são os que realmente trabalham, em Belém e Marabá. Digo isso com a segurança de quem conviveu quatro anos no Jornal Opinião e viu de perto como são os procedimentos do João. Outra coisa: ele não impôs o nome da Bia a nada. Além do mais, Paulo, segundo suplente de senador lá é cargo que interessa a alguém? A pessoa tem de rezar para dois morrerem de uma só tacada... Imagina!

Ademir Braz disse...

Acho que você, das 13:35, está pré-julgando e de forma preconceituosa.
Não consta que João Salame já tenha administrado qualquer prefeitura, de sorte que não pode ser avaliado por esse prisma.

Ademir Braz disse...

Ninguém, das 00:51,é obrigado a gostar do Salame (nem eu tenho procuração para defendê-lo, claro). Mas se ele tem ambições políticas,não há nenhum mal nisso: ele é um deputado em segundo mandato e nada o impede de querer sobreviver politicamente.

Anônimo disse...

Ao equivocado anônimo das 0:51

Acredito que você não tenha lido a íntegra da renúncia do deputado João Salame pois ele deixou todos os cargos à disposição do governador. Veja este trecho da carta:
"Aproveito ainda a oportunidade para colocar à sua disposição as indicações que fiz para postos de trabalho na estrutura de Governo."

Acho que esta parte da carta esclarece as dúvidas sobre as intenções do deputado, aliás, querendo ou não é o nosso melhor representante na Alepa. Abraço.

Kléber Marinho

Anônimo disse...

É verdade, até agora ele não devolveu um cargo sequer dos que Jatene deu pra ele colocar seus afilhados. Será esse um desligamento pra inglês vê? Vai deputado, devolve os cargos do teu pessoal. É preciso, nessa hora, cortar na própria carne pra mostrar que realmente se desligou do governador, que a briga não é de faz de conta. Devolve e conta com a compreensão dos que ficarão sem as tetas, digo, cargos. Será que continuarão seguindo o deputado? Geralmente eles debandeiam. Essa semana mesmo um dos afilhados foi bater no jornal pra falar com o deputado, a respeito da situação dele lá na Cosanpa. Começou a desconfiança e o medo de perder os salários. É mais um tiro no escuro. Atira deputado, paga pra vê. Devolve os cargos, vai.

Anônimo disse...

Será que Bichara vai se juntar ao deputado na disputa pela prefeitura de Marabá, abrindo mão das prentensões e do que dizem ser ele a tão propagada terceira via? Pelas argumentações de Ademir, que é do PV, a junção parece que vai acontecer. Ou não Ademir? Diz aí pra nós, já que você faz parte do partido verde e é um dos defensores do nome do Bichara a prefeito. Ou ele vai continuar com Tião?

Anônimo disse...

ei, dos que comentam aqui, quantos são "açeçores" do deputado? sejam sinceros.

Paulo Pereira disse...

Caro Leo Gomes.

Adianto-lhe que conheço bem o deputado, desde o tempo em que veio do Rio de Janeiro e juntou-se ao Salim Quadros para articular em favor do Haroldo Bezerra.Depois o espaço ficou pequeno para as elevadas pretensões dos dois.Aliás, o Dr.Haroldo deveria ser sempre alvo da gratidão do deputado João Salame, pois este é criatura dele, que o ungiu no primeiro cargo público em Marabá, colocando-o na mídia, o que, com inteligencia foi bem aproveitado por ele.Fosse o deputado um defensor da formação de um grupo politico para alavancar Marabá, não teria aceitado a “imposição” do Senador e indicaria um outro nome, que, inclusive, pudesse agregar peso eleitoral a ele e ao Senador, porém, fez o “sacrificio” de ungir sua mulher como suplente, aliás, o mesmo "sacrificio" que fazia pouco tempo atrás, antes da oportunidade que o plebiscito lhe deu, tentando impo-la como vice de um candidato a prefeito qualquer que aceitasse.Ora Leo, vá contar estas historinhas para outro, não para mim, o deputado é nepotista politico, sim, em uma interpretação latu sensu do termo.No entanto, se o Deputado realmente quiser dar uma guinada e abandonar a politica do “Mateus primeiro os meus” eu estarei firme ao lado dele para retirar Marabá do lodaçal politico em que se encontra.Candidato a prefeito deve ter projeto.Deve ter grupo de pessoas capacitadas a ocuparem cargos em sua possivel administração.Qual o grupo do deputado? Cite nomes de pessoas capazes que o cercam em Marabá, além da mulher, sempre lembrada por ele e alguns poucos, com laços familiares, dela ou dele?Agora, corrigido o rumo, vamos embarcar com ele em sua pretensão que é legitima.

Ademir Braz disse...

O PV, das 10:43, não abre mão de cabeça de chapa na sucessão municipal.Isto já foi discutido e aprovado nas discussões internas. As alianças com outros partidos também têm sido objeto de análise e, neste sentido, ninguém manifestou qualquer interesse em juntar-se às siglas que estão há anos no poder em Marabá ou no Estado.
Também não há nada que impeça o lançamento de uma chapa pura, o que não foi descartado.
Agradeço pelo seu interesse quanto ao novo PV.

Anônimo disse...

ademir, muita agua e muita reunião vai rolar até lá. espere um pouco, um pouquinho mais, e verás.

Anônimo disse...

paulo pereira, tu é bem a cara daqueles que com uma mão bate e com a outra acaricia. ao mesmo tempo que escracha o deputado, tu já se oferece pro homi. é ele que tem que mudar ou é você? isso tem nome, viu? tu já fez o preenchimento da ficha-pelego com esse teu comentario. nem discreto tu foi. quer mesmo açeçorar o homi.

Anônimo disse...

Está declarada a guerra entre “açeçores” dos dois deputados.

Leo Gomes disse...

Paulo Pereira, não mudo uma vírgula do que eu disse!

Anônimo disse...

Vai ficar tudo em casa mesmo. A candidatura de João Salame a prefeito de Marabá dependerá do que for acertado hoje, quinta-feira, na capital, numa reunião entre ele, Jatene e Tião. Se a esposa for aceita como vice ele não sai candidato. Essa é a condição.

Anônimo disse...

Ao anonimo das 13,45hs.
O camarada esqueceu que vivemoms em uma democracia, o senhor não que bicho é esse.

Morada Nova disse...

Ao anonimo das 00,51hs.
Se Marabá tivesse a sorte de ter pelo o mesnos treis politicos com a garra coragem e inteligencia do Salame, estavamos com dias melhores, ele vem demonstrando desempenho como deputado, não é de graça que é um dos mais atuante da assembleia, confirmou sua atuação na condução do processo pro-carajás, isso foi visivel enquanto temos treis deputados representando nossa cidade na assembleia, dois se recuaram, pra mim foi um ato desleal com nossa região. Será que precisa dizer quem foram. Salame se vc for candidato a prefeito alem de ter meu voto, serei cabo eleitoral seu a custo zero.

Ademir Braz disse...

Ao das 13:40:
Leitores do blog, ouvidos sobre a sua história da reunião,hoje, de Salame, Tião e Jatene,ponderam que:
1. A sucessão de Jatene vai ser uma questão delicada e ele vai precisar de apoios sólidos no interior, onde sua participação na luta contra Carajás e Tapajós arranhou profundamente a sua suposta liderança.
2. Tião seria seu candidato de confiança, nesta circunstância;
3. Confiança que Jatene não teria em Salame, ao ponto de aceitar indicação dele para composição de chapa com Tião.
Vamos aguardar se, de fato, vai haver essa reunião e o que virá daí.Mantenha-nos informados, ok?

Anônimo disse...

Sua opinião certamente foi direto ao ponto.
Mas creio na viabilidade politica de Salame e em sua candidatura a prefeitura como opção viável no senário tião X maurino. Muita gente procura uma candidatura alternativa, agregando o PV de Jorge e o PT de ninguem.

Anônimo disse...

Ademir, o Salame quando foi secretário de planejamento do Tião cometeu logo nepotismo, além dessa questão pergunte pro pessoal que trabalhou naquela época sobre a atuação do João Salame.Deixa o Salame como dep.

Anônimo disse...

Muitos têm críticado o Deputado João Salame por sua postura pró Carajás e por ter assumido a frente dos debates. Não tenham dúvidas que ele tem seus interesses políticos, até uma criancinha saberia disso, assim, como muitos políticos se calaram para manter os mesmos interesses políticos ( Tião Miranda, Asdrubal Bentes, Wanderkoc "Sei lá como se escreve esse nome", entre muitos). Mas o que deu a cara a tapa, e foi contra o 55, foi o J.S., então, apesar de suas intenções, nós vale, simples eleitores, os frutos dos seus meios. Tião Miranda perdeu muito com sua submissão ao Governo Jatene, mas não o suficiente para cair fora da disputa, e continua imbatível ainda. Mas já temos duas opições de voto agora. Então que nos apareça a terceira e a quarta, e assim por diante. O nosso ex-prefeito Nagib Mutran, poderia entrar mais em debates, mostrar sua notória retorica ao publico em geral, e não ficar só nas páginas do Correio do Tocantins. Nossos políticos são fracos, se analisando friamente, mas infelizmente temos que fotar no menos pior. Então, que nos venha mais opições. Até tu Maurino, desde que Deus queira, e se ele é justo. Tchau e benção!