Pages

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Mais uma invasão urbana?

Cerca de cem famílias sem teto começaram, desde início de abril, a ocupar uma área de 38 alqueires (180 hectares) nos fundos do loteamento Buriti, do Grupo Leolar, às proximidades do Igarapé Tauaryzinho e da rodovia Transamazônica.
Os ocupantes alegam que a área é de domínio público municipal e integra o Plano Diretor de Expansão Urbana, estando, portanto, fora do loteamento da Leolar. 

3 comentários:

Anônimo disse...

Será que o Deputado aleito com o apoio do povo da Invasão da Coca-cola não esta bancando esta invasão? Ele tem uma galera em Tailândia que é expert no assunto: Invasão de terras.

Blogue Marabá 2012 disse...

Essas invasões aumentarão por causa do próspero futuro de Marabá.

É interessante a gente ouvir das autoridades que Marabá vai dobrar em número de habitantes. Mas eles até agora nada fizeram para que isso comece a virar realidade.

Então, as pessoas, como sempre, tomam a frente do poder público e promovem, a sua maneira, a tal da explosão demográfica.

É errado? É sim. Mas a culpa é do omisso poder público e seus representantes, que estão mais preocupados nesse momento, com seus umbigos. Vivem numa alta torre, muito acima do que acontece embaixo e a sua volta.

Acreditando eles que de fato virá essa quantidade de gente para cá, então estão se prevenindo e preparando terreno para os novos moradores, que lhes comprarão os lotes e as casas que vierem construir nesses terrenos.

Sem contar que fazem girar um certo capital, que fica por aqui mesmo, com as vendas desses lotes. E ainda dão um golpe no mercado imobiliário da cidade, fazendo com que os preços dos imóveis, tanto para venda como para locação, comercial ou residencial, baixem de preço. A cidade está cheia de imóveis para venda e locação.

Nunca na história de Marabá, plagiando, alguém colocou uma placa de aluga-se num imóvel - quer seja comercial, quer seja residencial -, não dava tempo, tinha uma fila de pretendentes.

A cidade cresceu assim, desodernada, mas cresceu sozinha, sem a ajuda do poder público. Que quando se apresenta, visa apenas os votos dos eleitores.

De alguma maneira isso tem o seu lado positivo. E daqui alguns anos Marabá terá outra cara.

E por incrível que pareça, as invasões se desenvolvem muito mais rapidamente que os loteamentos.

___________
Adir Castro

Anônimo disse...

Por detrás dessa fachada de "sem-teto" há pessoas endinheiradas. Concordo com a colocação das 16:56 hs. Em 13.04.11, Marabá-PA.