Pages

sábado, 26 de março de 2011

É nojento e revoltante mesmo!

Da Terra do Nunca, do jornalista Chagas Filho, ontem, sexta-feira:



Acho que vou vomitar
A julgar pelos discursos desprovidos de qualquer respeito pelo povo, que ouvi agora pouco, a vereadora Elka Queiroz, que usou o carro da Câmara Municipal para fazer rally em São Paulo, não vai pegar nem um dia de suspensão, muito menos 30, como sugeriu timidamente a comissão que investiga o caso.
Com exceção das vereadoras Toinha do PT e Irismar Sampaio, o restante dos vereadores praticamente pediu desculpas à vereadora pelo constrangimento a que ela foi submetida.
Até mesmo o vereador Edivaldo Santos, um dos mais combativos da CMM, se mostrou brando com a vereadora.
Não faltaram citações bíblicas do tipoNão julgues para não ser julgado” e “Quem nunca errou que atire a primeira pedra”.
Tudo isso confirma a informação de que a vereadora Elka se reuniu a portas fechadas com os vereadores e ameaçou “detonarum por um, caso ela fosse condenada.

7 comentários:

Dr. Valdinar Monteiro de Souza disse...

Sem entrar no mérito, para dizer se a pena foi justa ou injusta, informo que a Vereadora Ismaelka foi condenada pela maioria absoluta Plenário da Câmara (7 Vereadores) à pena de perda temporária do mandato, nos termos dos artigos 102 e 104 do Regimento Interno, ou seja, a trinta dias de afastamento das atividades parlamentares sem remuneração. Como já está afastada pela Justiça, assim continuará e ficará um mês sem receber, além de perder a condição de ré primária perante a Câmara Municipal.

Blogue Marabá 2012 disse...

Um mão lavando a outra

"A Câmara fez um excelente trabalho na investigação, mas não aceito a pena colocada porque o veículo não foi utilizado em meu favor pessoal. Quero pedir para vocês repensarem porque hoje sou eu quem está aqui, mas amanhã pode ser um de vocês."

As palavras acima foram ditas pela vereadora Ismaelka após ter sido julgada pela Câmara Municipal de Marabá e ter recebido a severa pena de 30 dias de suspensão do mandato. O que motivou a pena foi o fato do veículo dela ter sido multado quando transitava por São Paulo. Apenas lembrando que o veículo cedido aos vereadores é pago pelo povo e foi disponibilizado exclusivamente para eles utilizarem no dia a dia dos seus trabalhos em prol do povo, e somente dentro do município de Marabá.

Pergunta: Quem é louco o bastante para querer ver a vereador pelas costas diante de um lembrete desses? Ninguém, já que não há relato da presença de loucos naquela Casa.

Para mim, isso não é pessoal, que esperava mais dele por causa de seus discursos em defesa da ética e da moralidade, a maior surpresa foi o posicionamento do vereador Edivaldo Santos (PPS). O cito porque ele se apresenta como a única voz contra as imoralidades que assolam o executivo municipal que tanto denuncia. Ele chegou a usar uma passagem a bíblica que diz: “não julgueis para que não sejais julgados” para defender a vereadora. Justificou o erro dela citando o mal uso dos carros do DMTU, que segundo ele estão sendo usados para outros fins. Aproveitou para intimar os vereadores para investigar os desmandos no DMTU.

E para fechar sua defesa com chave de ouro, alegou que a vereadora usou o carro para transportar uma pessoa doente, o que seria mais do que justo. Finalizou dizendo também que não era a favor do apedrejamento de ninguém, sem lhe dá uma segunda chance.

Será que a condescendência dos “companheiros” é explicada por aquele ditado que diz: “Quem tem U tem medo”?

_________
Adir Castro

Anônimo disse...

O problema é que o povo marabaense vota mal pra cacete! Só perdemos pra nossa vizinha S J do Araguaia. E olhe lá!...

Ah, ela, segundo o Correio do Tocantins, comparou-se a Maria Madalena. É mole?...kkkkkkkkk

Os nossos "nobres" edis usaram pouco bom senso e muitas passagens bíblicas.


Oh, meu Deus, o nos reserva a partir de janeiro de 2013?

Dr. Valdinar Monteiro de Souza disse...

Meu caro Cebinho (a quem não tive a alegria ainda de conhecer pessoalmente):

As leis são feitas pelos legisladores com a participação (sanção) do Poder Executivo e aplicadas pelo Estado como um todo, principalmente, Executivo e Judiciário, cabendo a este a jurisdição, ou seja, o poder de interpretar e aplicar as leis ao caso concreto.

E esses Poderes do Estado (Legislativo, Executivo e Judiciário) são constituídos pelo povo e se materializam em pessoas de carne, ossos e sangue (algumas nos dão a impressão de que não têm sangue, mas têm sim, o que não têm é vergonha, pudor). Tais pessoas que se tornam autoridade não são alienígenas, não vêm do outro mundo, são daqui mesmo. Sendo assim, um povo imoral e corrupto como parece ser a maioria do nosso povo só pode constituir as autoridades que constitui. O povo não pode eleger um corrupto e depois querer que o Poder Judiciário o desconstitua, “deseleja”, sem observar a Constituição Federal, que é lei maior da República, não raro tão desrespeitada, rasgada mesmo, pelo próprio Estado.

No caso que estamos comentando, foi louvável a atuação da Justiça, que fez respeitar a Constituição, embora isso viesse beneficiar muitos corruptos aqui e acolá. Tenho a convicção, Cebinho, de que estou entre as pessoas sérias e decentes deste país e é, exatamente por isso, prefiro ver alguns corruptos se beneficiar da situação (COM O AVALO DO POVO, repita-se) a ver ignorados os pilares da segurança jurídica e rasgada a Constituição Federal, até porque jurei solenemente defender a Constituição e as leis quando recebi o grau de bacharel em Direito e quando recebi minha carteira de advogado.

É por isso que Estado Brasileiro é a coisa que é. O indivíduo acha que o deputado, o senador, o magistrado e assim por diante não podem ser corruptos, mas este mesmo indivíduo se acha no direito subornar o agente de trânsito. Acontece que quem dá propina para agente de trânsito é tão corrupto quanto ele. E por aí vai.

Como bem disse você, só Deus!

Anônimo disse...

A explicacao da vereadora Ismaelka Queiroz Tavares que estava levando uma pessoa com problemas da saúde para outro estado e conversa para boi dormir.Porque ela não levou essa pessoa para Belém.Porem em uma reportagem ela alegou que foi em busca de parceria para um projeto para crianças carentes. Ismaelka aqui em Marabá tem hospital bem que ta mais para matadouro do que mesmo para hospital porem a culpa da saúde não funcionar e dos próprios vereadores que não instalaram a CPI para investigar.Na verdade isso mim lembra a historia de Ali Baba

reporterchagasfilho disse...

Tou fechado com o Valdinar. Os vereadores que nos representam saíram do meio de nós. Ainda temos um longo caminho a percorrer. Ainda veremos muitas elkas e nagibs passeando com nosso dinheiro.

Anônimo disse...

Hoje em entrevista ao programa apresentado pelo milton farias a vereadora foi indagada sobre o uso do veiculo ela tutubiou e nao soube explicar.Ela aprendeu com maurino quase faz o discurso da folha do maurino.Acho que DEUS esta cansado desse povim usar seu nome para escapar das falcatruas