Pages

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Professor assassinado

Ex-dirigente do Sintepp Regional e da Subsede de Marabá, o professor Mário foi encontrado morto com requintes de crueldade em sua casa, ontem, domingo. Mário residia sozinho e seu corpo teria sido mutilado. 
Segundo uma fonte, a casa estava totalmente trancada e o provável assassino levou o carro dele com todos os documentos. Segundo outra informação, a polícia teria encontrado o veículo na Nova Marabá.

5 comentários:

Anônimo disse...

Demir, infelizmente, é mais um assassinato que fará parte de estatísticas sobre a violencia que grassa/avança em nossa cidade.Em 16.11.10, Marabá-PA.

Goreth Valério da Costa disse...

O veículo foi encontrado na Cidade Nova próximo a agência do Banco do Brasil. E se depender de nossos esforços (amigos,colegas,parentes, sindicalistas e correligionários de partido) este crime não ficará sem solução.

Quaradouro disse...

Algumas hipóteses, Goreth:
1. O(s)assassino(s)eram conhecidos do professor e tiveram permissão para entrar na casa;
2. O professor foi surpreendido ao chegar em casa, de automóvel, e rendido ao abrir o portão da garagem;
3. Seu(s) matador(es) moram nas mediações da casa dele e conheciam seus hábitos de morar só, trabalhar fora e chegar fora de hora. Devem ser jovens.
Levar o carro e abandoná-lo distante do local do crime é só tática para despistar.
Se houver empenho, a polícia logo vai pegá-los (espero!)

Anônimo disse...

A polícia se empenhar?
É mais um crime sem solução. Assim como o cruel assassinato do "Branco" de Tailândia que aconteceu aí em Marabá que o corpo foi encontrado dentro do carro. Já fazem uns 3 ou 4 anos.

Goreth Valério da Costa disse...

Ademir na minha opinião os assassinos também torturam o companheiro até ele fornecer a senha do banco e devem ter usado o carro para ir ao banco e efetuar saques na conta dele.E acredito ainda que tenha sido necessário confirmar se a senha era correta , então seria necessário mais de uma pessoa para isto.
Mas você tem razão os assassinos eram conhecidos ou pelo menos sabiam dos hábitos da vitima.Nesse momento temos que depositar nossas esperanças no trabalho da polícia. Sei que as condições de trabalho da polícia são tão ruins ou até piores que as nossas mas gostaria de pedir o empenho da polícia ,maior do que o de costume, neste caso. Quero reforçar o pedido da vereadora Toinha e pedir que todas as pessoas que viram o Mário no sábado, ou nos últimos dias, contribuam com informações que possam ajudar a solucionar o crime. Este crime não pode entrar para a estatística dos casos sem soluções.