Pages

sábado, 6 de novembro de 2010

Crônica de uma morte anunciada

Qualquer semelhança não é mera coincidência
Desportista marabaense deita-se confortável no divã de Quaradouro e começa a divagar:
"- O Águia de Marabá deve R$ 300 mil de "bichos" e salários atrasados e não tem como pagar. Dados os sucessivos fracassos desses onze anos sem renovação de diretoria, esta seria a oportunidade para mudar tudo.
Mas isso não é possível. O que chamam de diretoria no time é só um grupo de relações amigas e familiares. Veja bem: tem o Inácio Ferreira, que é irmão do presidente Ferreirinha. O vice Ademir Martins é amigo pessoal e da mesma tendência petista do Ferreirinha, a DS. O diretor de futebol é irmão do Galvão, e o Édson é sobrinho do Galvão, o Zé Wilker, se não me engano.
Quem vai poder mudar isso? Ninguém.
Existem pelo menos oito empresários interessados em apoiar financeiramente a equipe, mas sem mudança nessa "diretoria" não dá. E sabe quando isso acaba? Dia de São Nunca de tarde! Ou então, logo que o  time acabar por má administração. Inda mais agora que Ana Júlia, patrona da DS, levou chumbo, e o Ferreirinha vai ficar desempregado e sem acesso ao Jatene.
Com a permanência desse grupo aí, e mais o Galvão como técnico inventado, nem o Águia vai sair dos aperreios nem ganhar qualquer campeonato."
------
Com a palavra, quem puder responder.

2 comentários:

Mural de Marabá disse...

Então não é clube de futebol, mas sim um feudo.

Marabá precisa levantar mais dois clubes de futebol para acabar com essa cartelização. Se não dois, pelo menos um.

Além disso, com mais de um clube na cidade, cria-se na cidade a rivalidade, SAUDÁVEL, entre torcedores.

Esses senhores que pleteiam a diretoria do Águia, se realmente querem conduzir o futebol local com seriedade, que levantem outro clube da cidade.

Deixem o Feudo Futebol Clube de lado, e mãos a obra.

Anônimo disse...

Demir, o Sr. Tarcísio (Tratorpeças) foi um dos primeiros e, às vezes quase único, em apoiar financeiramente o Águia. E agora, um dos primeiros tambem, a verificar que a coisa ,ia degringolar. A nau está à deriva sem perspectivas de porto seguro. Se devem 300 mil, não têm como pagar. Donde vão tirar tal soma ? Houve um acidente de percurso, com que não contavam os senhores feudais. A não reeleição de AJ(PT). Resta entregar o clube à quem realmente tenha condições, principalmente financeira, de mante-lo. Acho que é o término da era feudal de Ferreirinha/Galvão e parentes/apaniguados. Em 07.11.10, Marabá-PA.