Pages

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Encheu o saco!

É surpreendente como uma proposta de questionamento entre o blog e os comentaristas descambou para a discussão bizantina sobre as glórias do Tião Miranda (sem incluir a acusação da AGU do desvio de R$ 5 milhões na orla) e a saudade dos trocados que ele dava aos servidores achando que lhes fazia o favor de esmola, ainda que estivesse obrigado pelo Fundeb.
Agora, a título de colaboração para encerrar este assunto, lhes mando a opinião do escritor João Ubaldo, expresso na crônica "Falta educação". Boas reflexões!!!
----- 

"Precisa-se de Matéria-Prima para construir um País"
 "A crença geral anterior era que Collor não servia, bem como Itamar e Fernando Henrique. Agora dizemos que Lula não serve. E o que vier depois de Lula também não servirá para nada. Por isso estou começando a suspeitar que o problema não está no ladrão corrupto que foi Collor, ou na farsa que é o Lula. O problema está em nós. Nós como POVO. Nós como matéria-prima de um país. Porque pertenço a um país onde a "ESPERTEZA" é a moeda que sempre é valorizada, tanto ou mais do que o dólar. Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família, baseada em valores e respeito aos demais. Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nas calçadas onde se paga por um jornal, E SE TIRA UM JORNAL, DEIXANDO OS DEMAIS ONDE ESTÃO. Pertenço ao país onde as "EMPRESAS PRIVADAS" são papelarias particulares de seus empregados desonestos, que levam para casa, como se fosse correto, folhas de papel, lápis, canetas, clipes e tudo o que possa ser útil para o trabalho dos filhos... E para eles mesmos. Pertenço a um país onde a gente se sente o máximo porque conseguiu "puxar" a tevê a cabo do vizinho, onde a gente frauda a declaração de imposto de renda para não pagar ou pagar menos impostos. Pertenço a um país onde a falta de pontualidade é um hábito. Onde os diretores das empresas não valorizam o capital humano. Ondepouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e depois reclamam do governo por não limpar os esgotos. Onde nossos congressistas trabalham dois dias por semana para aprovar projetos e leis  que servem para afundar o que não tem, encher o saco do que tem pouco e beneficiar a alguns. Pertenço a um país onde as carteiras de motorista e os certificados médicos podem ser "comprados", sem fazer nenhum exame. Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços, ou um inválido, fica em no ônibus, enquanto a pessoa que está sentada finge que dorme para não dar o lugar. Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o pedestre. Um país onde fazemos um monte de coisa errada, mas nos esbaldamos em criticar nossos governantes. Como "Matéria-Prima" de um país, temos muitas coisas boas, mas nos falta muito para sermos os homens e mulheres de que nosso País precisa. Esses defeitos, essa "ESPERTEZA BRASILEIRA" congênita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até converter-se em casos de escândalo, essa falta de qualidade humana, mais do que Collor, Itamar, Fernando Henrique ou Lula, é que é real e honestamente ruim, porque todos eles são brasileiros como nós, ELEITOS POR NÓS. Nascidos aqui, não em outra parte. Entristeço-me. Porque, ainda que Lula renunciasse hoje mesmo, o próximo presidente que o suceder terá que continuar trabalhando com a mesma matéria-prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos. E não poderá fazer nada! Não tenho nenhuma garantia de que alguém o possa fazer melhor. Mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá. Nem serviu Collor, nem serviu Itamar, não serviu Fernando Henrique, e nem serve Lula, nem servirá o que vier. Qual é a alternativa? Precisamos de mais um ditador, para
que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror? Aqui faz falta outra coisa. E enquanto essa "outra coisa" não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente
condenados, igualmente estancados... Igualmente sacaneados! É muito gostoso ser brasileiro! Mas quando essa "brasilinidade" autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, a coisa muda... Não esperemos acender uma vela a todos os Santos, a ver se nos mandam um Messias. Nós temos que mudar! Um novo governante com os mesmos brasileiros não poderá fazer nada!! Está muito claro... Somos nós os que temos que mudar! Agora, depois desta mensagem, francamente decidi procurar o responsável, não para castigá-lo, senão para exigir-lhe (sim, exigir-lhe) que melhore seu comportamento e que não se faça de surdo, de desentendido. Sim, decidi procurar o responsável e ESTOU SEGURO QUE O ENCONTRAREI QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO.

"O GOVERNO SOMOS NÓS, OS POLÍTICOS, NEM TANTO ASSIM." (Paulo Busko). MEDITE!!! E eu acrescento: o que nos falta é EDUCAÇÃO!"
--------

13 comentários:

Ulisses Silva disse...

De fato Ademir, o que nos falta é educação. Acompanhei os comentários no outro post, e vejo com tristeza as pessoas dizerem em todos os lugares que "roubou, mas trabalhou". Enquanto tivermos esta mentalidade, nosso País continuará na mesma.

Se em uma eleição votamos em um candidato e este decepcionou, cabe a nós votarmos em outro na eleição vindoura.

E se aquele candidato já ocupou cargo público e deixou a desejar, também não podemos reconduzí-lo a cargo público.

O que nos falta é termos, de fato, vergonha na cara.

Nesta eleição, por exempo, terei que votar em 6 candidatos, e até o momento só tenho 2. As outras 4 vagas não vejo ninguém com ficha-limpa suficiente para ganhar meu voto.

Quaradouro disse...

Você, Ulisses, está melhor que eu, que até agora estou zerado. Estou procurando uma proposta nova e isso, no Pará, é motivo de gaitadas rsrsrsrs

Anônimo disse...

Boa reflexão. Esse texto me fez ir além: se EU ocupar um cargo público como de prefeito, governador, presidente, saberei agir diferente desses que já estiveram no poder?
Porque a minha cultura do "tudo pode" estar tão entranhada que terei difuculdade de discenir entre o que é corrupção e o que é necessidade.
Realmente precisamos rever nossos conceitos, e trabalhar na nova geração esses valores perdidos.
Digo na nova geração porque não vale a pena nos desgastar com a atual.
Através da Educação poderemos modificar todo um país.
Eu acredito nisso, e você Ademir?

Anônimo disse...

Boa reflexão. Esse texto me fez ir além: se EU ocupar um cargo público como de prefeito, governador, presidente, saberei agir diferente desses que já estiveram no poder?
Porque a minha cultura do "tudo pode" estar tão entranhada que terei difuculdade de discenir entre o que é corrupção e o que é necessidade.
Realmente precisamos rever nossos conceitos, e trabalhar na nova geração esses valores perdidos.
Digo na nova geração porque não vale a pena nos desgastar com a atual.
Através da Educação poderemos modificar todo um país.
Eu acredito nisso, e você Ademir?

Mural de Marabá disse...

Fiquei sem palavras.

Ulisses Silva disse...

De fato Ademir, nosso estado está péssimo de candidatos. Veja nossos candidatos a Governador? E os Senadores? Coisa complicada essa eleição. Não sei se Você viu a notícia que te mandei sobre os eleitores do Amazonas, mas a realidade por aqui não esta distante da realidade de lá. Estamos em um mato sem cachorro. Ou melhor, estamos em uma eleição sem candidatos com boas propostas. E quanto aos 2 candidatos, falo que já tenho esses 2 mas ainda estou amadurecendo a ideia. Ate outubro tem bastante tempo.

Anônimo disse...

Já disse e repito : Tô pensando seriamente em me abster do voto. Os que aí estão, simplesmente não o merecem. Em 15.08.10, Marabá-PA.

Anônimo disse...

''TIÃO E OU MAURINO''
Trocamos seis por meia dúzia ou muito menos. O Maurino substituiu o Tião em cima do desespero do povo que já não aguentava mais as humilhações da ditadura AMÉRICO-MIRANDA, onde dona Kátia com carta branca de sua valentosa irmã, agia com truculência impar à frente da SEMED, onde a órdem era ''Céu para meus lacaios e inferno para quem se opuser''. Não sei quem é pior.

Anônimo disse...

A alternância é saudável,eu acho que tinha chegado a hora de fazer um comparativo de gestão.
Por isso naquele momento se falava em mudanças.Mas em que mudanças?
Eu trabalho na educação tem 15 anos,estive praticamente em todos os cargos, e nunca vir um situação como a atual.
De perseguição,autoritarismo,falta de autonomia nas escolas e sem contar as outras coisas que estão rolando.
Agora dizer que a professora Katia era tirana.quem afirma isso ta faltando a verdade.Eu nunca participei da equipe dela, mas eu admirava como aquela equipe trabalhava.Se tinha que chamar diretores e servidores ela chamava,e gestor tem que ser assim.E caro companheiro nos sabemos quanto de servidores que não gostam de trabalhar.Passe nas escolas agora e veja quantos funcionários faltaram!faça o levantamento quantos entraram com atestado medico sem estar doentes,quantos faltam na escola publica e continuam trabalhando na particular.Eu convivo todo santo dia com essa realidade em três escolas.Se o secretario e o diretor de escola não tiver total controle sobre oque acontece em sua gestão, ta perdido. Venha trabalhar em uma escola que num dia faltam três professores de uma vez, sinta o caus que fica essa escola, que estava contando com esse servidor e ele não comparece, e depois não que desconto de faltas.E ai eu te pergunto como fica as crianças? aprendizagem? o planejamento da escola? a organização da escola?
Eu concordo com o autor"um pais onde fazemos um monte de coisa errada, mas nos esbaldamos em criticar nossos governantes".
...temos muita coisas boas, mas nos falta muito para sermos os homens e mulheres de que nosso País precisa.Apontar o dedo e encontra culpados é muito fácil, venha para nosso dia a dia.

Anônimo disse...

Essa aí deve ser da turma dos filhos da terra, eleitora da vanda.

Anônimo disse...

Parece que eu estou em um mundo do faz de conta com tanto discurso"ideológicos, partidários e quem sabe, hipócritas".
Quem nos últimos anos tem administrado a UFPA aqui em marabá? um grupo que ideologicamente andam juntos, e diga de ante mão, afundaram o campos, tudo funciona para beneficiar o grupo, hoje a Prof.ªHildeth ta devolvendo dinheiro por falta de competência de gerenciar os recursos.
A Uepa administrado pelo Prof.ºNei por vários anos, quando saiu cuidou de deixar um dos dele substituindo.
O SENAI, te sendo gerenciado por anos pelo mesmo profº Estanislau.
A 4ªURE, ta com o grupo do ferreirinha, os mesmos que estavam nas escolas assediando alunas em troca de notas.Hoje estão utilizando as estruturas da URE para fazer campanha pros seus candidatos.
Então queridos, todos nos queremos é uma oportunidade para sentar na cadeira e usufruir do poder.
Eu! só não posso olhar no espelho, e me encontrar em tudo que critico.

Mural de Marabá disse...

Anônimo das 14:45 do dia 16 de agosto.

Lamentavelmente é isso que acontece: usam a ideologia para nos roubar.

Anônimo disse...

Acho que roubam nossa ideologia para nos enganar.