Pages

domingo, 1 de agosto de 2010

Freguês do Paysandu

NA IMAGEM, COMO O ÁGUIA DO GALVÃO VÊ O PAYSANDU

Empate milagroso no Ceará. Empate mixuruca em Marabá. Em Belém, mais uma derrota para o Paysandu, terror da equipe e do seu "técnico" Galvão, inda mais quando joga o caduco Zé Augusto.
Acabo concordando com o projeto do Ferreirinha de trocar o nome do time para Águia Esporte Clube. Assim, os torcedores de Marabá vão deixar de carregar (e passar!) sozinhos tanta vergonha.

5 comentários:

Anônimo disse...

Ademir, o que me deixa p. da vida é ter que assistir os chiliques do Galvão, outa vez, a exemplo daquele jogo contra o Remo no 1º turno do parazão. Lá o pseudo treinador desmunhecou porque,segundo ele, o gol do empate do Remo foi ilegal. A televisão mostrou que o gol foi legal. Ontem, a defesa do Águia entrou em campo com propósito de bater. Bateu e bateu. Qual é a do árbitro? dar cartão amarelo. Pois bem, no intervalo o doido do Galvão invadiu o campo e foi tomar satisfação com a arbitraghem, inclusive agredindo um policial. Vendo na tv, são claras as agressões e os cartões corretos. No final, a gota dágua pro doido ficar mais doido ainda: o Ary põe a mão na bola e o árbitro marca pênalti. Sem paixão, foi pênalty. Pois o maluco Galvão e o cínico Ary garantiram que a bola "nem tocou no braço". Mentira dos dois. Foi pênalty. Ao final, o "nosso" (do Ferreirinha) desmunhecado treinador, outra vez, fez cena prá tv. Isso tem que acabar. Está faltando treinador. O ataque cardíaco do Águia é uma droga, o treinador, idem. Então o jeito é botar culpa na arbitragem. Chega, Galvão!!!a torcida não é besta. Chega, chorão!!!!

Anônimo disse...

Meus caros,
Ouvi o jogo na rádio clube, assistindo no bar do Juarez lotado. Na rádio como na tv a zaga batia pacas e toma-te cartão amarelo. Os da rádio pediam calma aos jogadores, afirmando insistentemente que alguem podia ser expulso. Mas que nada: toma-te porrada e toma-te cartão amarelo;7 até os 40 do 1º tempo e na rádio clube os caras concordando com os cartões aplicados. E todos nós que assistíamos. Em certo momento, o reporter ouviu o Galvão na beira do campo. Bastou isso prá mudar a conversa - como Galvão disse que os cartões foram injustos, daí em diante a conversa foi outra na rádio: o árbitro é um ladrão! tá ajudando o Paysandui! e coisa e tal. Moral da história: na Clube, Galvão e Ferreirinha não podem ser contrariados, de mais, o resto que se dane. Afinal, a Rádio não pode perder os patrocínios. Uma pena o comportamento de nossos formadores de opinião. Ruim pacas para o Águia com essa blindagem falsa. Uma pena, Ademir.

Anônimo disse...

Estou de acordo com os 2 comentários acima. Tá tudo errado no Águia. Foara Galvão

Anônimo disse...

Galvão burro, galvao burro, galvão burro ,galvao burro, Galvao burro.....

Quaradouro disse...

Amém!