Pages

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Mutran de novo no banco dos réus

O ex-deputado estadual Vavá Mutran, cassado duas vezes, e acusado de matar  com um tiro na cabeça David Ferreira de Abreu, uma criança de 8 anos de idade em 4 de dezembro de 2002, volta ao banco dos réus, desta vez em Belém.  
O crime revoltou a população local, que depredou a residência do acusado no Km-7. Ele negou o crime e foi absolvido no primeiro júri popular realizado em Marabá, em agosto de 2005. Porém, o MPE recorreu e conseguiu anular a sentença, forçando a Justiça a realizar novo julgamento, agora em Belém.
O desaforamento do julgamento para a capital paraense foi decidido pelas Câmaras Criminais Reunidas do TJE (Tribunal de Justiça do Estado). A relatora, desembargadora Raimunda Noronha, atendeu ao pedido encaminhado pelo promotor Daniel Barros, sendo acompanhada à unanimidade pelos demais magistrados que compõem o colegiado.
Segundo o MPE (Ministério Público do Estado), a realização do julgamento em Marabá poderia comprometer o resultado devido à influência econômica e política exercida pela família Mutran no município.
Quando deputado estadual pela segunda vez, Vavá foi condenado à prisão pelo assassinato de um fiscal da Fazenda do Estado. O servidor autuou um carregamento de gado transportado sem documentação, o que motivou o crime, pelo qual o parlamentar foi condenado e punido com a cassação do mandato. 

3 comentários:

Anônimo disse...

Ademir, acho que pelo que tem passado nestas quase duas décadas, tanto de perdas familiares como da própria saude, e outras à nível de materialidade; Mutran já pagou pelo que de excuso fez. Em 09.08.10, Marabá-PA.

Anônimo disse...

Não to dizendo!! só falta esse aí das 08:32 querer colocá-lo numa redoma.

Quaradouro disse...

Coitadinho dele, né? Tão bom...