Pages

domingo, 1 de agosto de 2010

A que ponto chegamos!...

Terra arrasada parece ser a meta do desgoverno de Maurino Magalhães
Não é raro você encontrar pessoas que insistem em chamar o ainda prefeito de “6M”, cuja definição seria muito simples:
Maurino Magalhães, Maior Mentiroso do Município de Marabá”.
As evidências, dizem, estão na propaganda enganosa em que o alcaide se atribui a paternidade do novo distrito industrial (onde os investimentos são privados e o Estado gasta milhões em desapropriações), da duplicação da Transamazônica, que o Dnit promove entre a Nova Marabá e a Cidade; e inúmeros e antigos bens públicos que ele mandou azulmaurinizar e os apresenta como obras suas.
Segundo a propaganda mentirosa, são 122. Segundo as más línguas, 123 – incluído aí o ponta-pé inicial que ele deu numa disputa do Águia em partida no Zinho Oliveira.
Enquanto isso, a precária arborização pública está morrendo à mingua de água e cuidados nos canteiros centrais das vias principais ou secundárias, na Praça Duque de Caxias, enquanto noutras os chafarizes, que tanto dinheiro custaram ao bolso do contribuinte,  enferrujam sem água e por falta de serventia.
Apesar das críticas, o ainda prefeito não se toca. Para fugir da audiência em testemunhas de acusação seriam ouvidas, ele foi rápido no gatilho: sacou um atestado médico e desapareceu. Soube hoje, na Velha Marabá, que ele teria viajado ao Rio de Janeiro para ver seu Fluminense jogar...
Com a folha cheia de penduricalhos, algo em torno de 3 mil, 4 mil, segundo sindicalistas, há servidores da Secretaria de Obras que há quatro meses não recebem o abono que recebiam e até hoje os trabalhadores em geral não viram a cor da primeira parcela do décimo-terceiro.
Mal assumiu a prefeitura, a vereadora Júlia Rosa fez chegar às redações cópia do decreto 0394/2010, assinado em 29 de julho, e no qual “fica proibida qualquer demissão de servidores municipais” nesse período da sua interinidade.
O negócio ficou meio assim no ar, mas a explicação está nas ruas: Júlia Rosa encontrou prontos e acabados dezenas de decretos de demissão de professores que aderiram à greve recente, não exatamente pelo movimento paredista, mas por causa da vaia histórica que lhe deram (não só eles, diga-se, o apupo gigantesco veio de toda parte) no lançamento das obras da Vale no terreno baldio da Alpa), em frente a Lula, Ana Júlia, Roger Agnelli e quejandos.
Aliás, foi em razão dessa vaia vuvuzelesca que numa das suas reuniões nem tão secretas com secretários, 6M instituiu e oficializou a alcaguetagem, o dedodurismo, a delação entre funcionários, valendo-se da escória moral que se presta a esse tipo de patifaria. Deve ser com base nos relatórios feitos que foram relacionadas as cabeças para a guilhotina.
Pura vingança, revanchismo e rancor. Dizem que Ney Calandrini, titular da Semed, teria dito que tais demissões iam prejudicar milhares de alunos porque não haveria tempo para contratação de substitutos, mas foi voto vencido.
Eu não sei por que o professor Calandrini ainda convalida essa administração sem dignidade.
Júlia Rosa sustou temporariamente a degola porque não quer, como diz o Correio do Tocantins, “ficar mal vista pelos servidores públicos na sua interinidade no cargo de prefeito”.
Mas ninguém assegura que no retorno de Maurino, se Deus, o Diabo ou o Dr. Cristiano não nos livrar desse infortúnio, os professores temporários serão mesmo demitidos. Apesar do dano causado a milhares de estudantes.  

12 comentários:

Anônimo disse...

Ademir, eu ainda estou um pouco sonolenta nessa manha de domingo e fico sem acreditar que tudo isso esta acontecendo em nossa marabá.
será que fomos abandonado por Deus, castigado por ter acreditado nos hereges que usaram seu nome em vão?
Eu acho que vou voltar a dormir e...

Anônimo disse...

Ademir, me diga meu querido, quem pode nos livrar desse homem?

Quaradouro disse...

Maurino é fruto de um pecado coletivo. Na época do Deus antigo, Marabá arderia como Sodoma e Gomorra, com a transformação em estátua de sal daquele que, em fuga, olhasse para trás.
Se sobrevivermos a 2012, que profecia maia dá como data para o fim do mundo, provavelmente mais 14 anos serão necessários para alguma remissão, tal como lascou-se Jacó junto a Labão, pai de Raquel, serrana bela, e que ainda levou gato por lebre no meio do caminho.

Quaradouro disse...

Escuta, das 09:55, que farra a de ontem, hein? Vai me dizer que estava rezando...

Anônimo disse...

Nem os meus porres fazem eu esquecer a situação que maraba esta, que tem prefeito analfabeto, mau-caráter,inescrupuloso.
desse jeito vou terminar com cirrose, e o prefeito rico.

Anônimo disse...

Ademir, e eu que já sou cirrótico e não posso beber, o que eu vou fazer,se não sei rezar,acho que vou lascar o verbo, nas rodadas de amigos pra ver se consigo fazer pelo menos que antes de votar, eles votem com a razão, e analise a ficha desses cara de pau que estão por aí com ares de bonzinhos. E o Maurino hoje no jogão no Rio gozando da cara daqueles que votaram nele,HEIM.

Anônimo disse...

Pelo visto, só Deus mesmo, e abaixo dele Dr. Cristiano, para nos livrarem dessa praga do MAURINO MAGALHÃES MAIOR MENTIROSO DO MUNICIPIO DE MARABÁ. Em 01.08.10,Marabá-PA.

Anônimo disse...

Mas me diga, é verdade? o prefeito moribundo foi para o rio de janeiro, assistir ao clássico vasco e flamengo?
Eu um simples mortal, o coração não aguenta ver o meu vascão no maraca...
E mas cada medico tem o tratamento indicado para cada paciente.
O especialista em coração DR. glicério, receitou esse para o nosso digníssimo,De grandes emoções.

Anônimo disse...

Ele conseguiu de novo, adiar a audiência que estava marcada para hoje 02/08.O juiz Cristiano remarcou para 01/09.Dizem que o Nagilson, assumi nesta segunda ate o prefeito se restabelecer.Agora pairou uma duvida....O atestado que o prefeito mandou já dava a data que ele estaria apto a assumir suas funções no dia o4/08.E porque a audiência foi marcada para o dia 02/09.Provocando assim mais um adiamento.
A minha pouca inteligencia não esta conseguindo fazer a leitura das ações do judiciário.

Quaradouro disse...

10:37:
Essa do novo adiamento da audiência para 1º de setembro para mim é novidade. Não saí de casa nesse domingo, nem na manhã desta segunda-feira, de sorte que vou ainda apurar. Por enquanto, só especulo.
Talvez essa dilação do tempo – um mês! – tenha a ver com a gravidade da suposta doença de Maurino ou com sobrecarga de trabalho na agenda do Dr. Cristiano, juiz vinculado ao processo (prefiro a alternativa B).
Se assume o Nagilson, será uma boa oportunidade para fazer a limpeza de terreno que há pelo menos 17 anos a prefeitura está necessitando. Ademais, serão pelo menos 30 dias sem a interferência do Maurino, que poderá desfazer tudo no seu retorno – se houver retorno.

Anônimo disse...

Se existe mesmo um Deus, e Ele for nosso Pai, o desgraçado há de nem voltar... vamos orar por essa graça!

Goreth Valério da Costa disse...

Jesus disse:
E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos.