Pages

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Demagogia de Maurino lesa alunos e educação


Maurino doa extensão de escola e acaba com área de lazer dos alunos



No dia 6 de setembro recente, o Tribunal Regional Eleitoral ganhou um terreno de 2.250 m² de área para construir o futuro Fórum Eleitoral do Sul do Pará. O espaço privilegiado na VP-7 foi doado pela Prefeitura de Marabá e a cerimônia de lançamento da pedra fundamental contou com a presença do presidente do TRE, desembargador João Maroja,  e do prefeito Maurino Magalhães, entre outras autoridades.
Para atender a um pedido do TRE, o prefeito fez vento com chapéu alheio. Ele precisou mutilar o terreno da escola João Anastácio de Queiroz. A área doada pela Prefeitura é a mesma onde centenas de alunos têm aulas de Educação Física.
Como a Prefeitura não construiu uma quadra poliesportiva, a professora de Educação Física, Lumaylka Oliveira, juntamente com alguns alunos, capinaram uma área dentro dos muros da escola e construíram ali um campinho de futebol, onde meninos e meninas recebem as primeiras lições sobre esporte, basicamente o futebol, e uma improvisação de handebol.
A professora Lumaylka diz que menos de um mês depois que o campo estava pronto, chegaram homens mandados pela Justiça Eleitoral e instalaram no terreno uma imensa tenda para a cerimônia de doação do terreno, que deveria ser usado para construir um ginásio. “A gente queria pelo menos uma quadra simples, mas estão nos tirando a única área que temos para educação física”, lamenta.
Lumaylka desabafa que já é muito ruim trabalhar com alunos no sol escaldante, sem uma quadra coberta. Agora, com a entrega do terreno para a Justiça Eleitoral, ela não sabe em que lugar vai realizar as aulas de educação física, considerada obrigatório pelo MEC (Ministério da Educação) para o Ensino Fundamental.
Ao ser indagado durante a cerimônia de doação da área à Justiça Eleitoral, sobre como vai ficar a educação física das crianças, o prefeito Maurino Magalhães justificou que em breve (ninguém sabe quando será) a Prefeitura vai construir uma escola de tempo integral, atrás do Ginásio Olímpico da Folha 16, com uma quadra poliesportiva, e os estudantes das duas escolas vão compartilhar do mesmo espaço.
Por outro lado, questionado se a doação do terreno à Justiça Eleitoral não coloca em dúvidas a lisura no julgamento de um processo que investiga a possível existência de “Caixa 2” contra a coligação que elegeu Maurino Magalhães prefeito de Marabá, em 2008, o presidente do TRE rebateu essa possibilidade, observando que o processo é contra Maurino Magalhães, pessoa física, enquanto a doação foi feita pela Prefeitura de Marabá.

3 comentários:

Mural de Marabá disse...

Apenas a título de curiosidade: Não é esse mesmo TRE que irá julgar o caso Maurino se acaso o juiz da Comarca de Marabá o cassar? Hummmmm!

E agora que o TRE sabe a procedência, vai devolver a "doação"?

Ulisses Silva disse...

Sinceramente, do Maurino nós podemos esperar tudo. Podemos esperar desmandos na gestão municipal, abandono da Orla do Rio Tocantins, obras que nunca aconteceram, abandono das escolas, descontos dos vencimentos dos professores, enfim, tudo o que não presta a gente pode esperar dele. Só não podemos esperar é aquilo para o qual foi eleito, ou seja, uma administração pautada na legalidade, na impesssoalidade, na moralidade e na eficiência.

Anônimo disse...

Em primeiro lugar: quem nao tem e ou nao conhece, nao valoriza e nem pode dar. O que que o Malino entende de educaçao e de esporte? De justiça brasileira ele entende, justça se faça, haja vista sua destreza em manobrar a mesma nos ultimos tempos. Estranhamente, semana passada quando o Juiz Cristiano MAGALHAES se envolveu num acidente na PA-150, quem foi resgatar seu veiculo foi o guincho do DMTU, e pasmem, sob a supervisao do prefeito Malino. Nao soa muito estranho essas cortesias? ''Legal essa dobradinha ne mano?'' Ate parece Lula , Sarney, Jader e SATANAS. (JAC)