Pages

domingo, 3 de outubro de 2010

Crime eleitoral e agressão

Na internet, duas notícias importantes sobre as eleições no Pará, divulgadas agora à tarde.
A primeira, da Agência Brasil, sobre prisões por boca de urna e compra de voto.
A segunda, do blog do Val André Mutran, de Brasília, sobre a suposta violência praticada por Tião Miranda, candidato à Assembléia Legislativa do Estado. Sobre esta última, saiu um comentário na TV Record que mais desinformou do que esclareceu.
O repórter disse, em off, que "a informação sobre um certo candidato do PTB não tinha fundamento" etc. etc.
A imprensa em Marabá às vezes é uma vergonha.
Vamos às notícias.
-------
Presos 14 no Pará
Da Agência Brasil:
O Pará contabiliza 14 prisões por crimes eleitorais. No entanto, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) contabiliza apenas sete, em função de a Justiça Eleitoral de Parauapebas e de Marabá ainda não terem comunicado as prisões ocorridas em suas jurisdições.
Em Marabá foram presas cinco pessoas por suspeita de crime eleitoral. Entre elas está Érica Santos Vilarins, esposa de um dos assessores do deputado estadual João Salame (PPS). De acordo com o agente da Polícia Federal que faz plantão na delegacia de Marabá, Átila Afonso da Cunha, Érica portava em sua bolsa R$ 13 mil, além de cheques assinados.
“As pessoas mostravam o cartão de apresentação do deputado para terem seus carros abastecidos em um posto de gasolina. Foram apreendidas também uma carteira funcional e cartões de apresentação do deputado”, disse o agente.
A PF apreendeu ainda material de campanha e anotações contendo números de títulos de eleitores e de placas de automóveis que, segundo o agente, eram apresentados para que o abastecimento dos veículos fosse feito. A prisão foi a pedido do juiz eleitoral Cristiano Magalhães.
Duas prisões foram registradas em Parauapebas, mas até o momento o TRE ainda não foi informado sobre o caso. No entanto, recebeu os pedidos de habeas corpus para os envolvidos. 
-------
Do blog de Val André, reproduzindo nota do Blog do Jeso, de Santarém:


Marabá: Candidato preso por agressão a eleitora
O ex-Prefeito de Marabá e candidato a deputado estadual pelo PTB, Tião Miranda acaba de ser preso.
O candidato fazia corpo-a-corpo na Feira da Laranjeiras, no Complexo Cidade Nova em Marabá (PA), quando uma eleitora gritou em sua direção:
-- Ei Tião. Tú não é de nada!!
Foi o suficiente para o candidato desferir um violento soco no nariz da mulher.
O covarde agressor foi preso em flagrante delito por agressão sendo enquadrado na Lei Maria da Penha.


10 comentários:

Anônimo disse...

E pelo jeito os dois vão ser eleitos!! Pobre Marabá, que triste sina de políticos!!

Dr. Valdinar Monteiro de Souza disse...

Lei Maria da Penha? Danou-se!... Não, caro leitor. Com certeza, não. A não ser que não se trate de apenas uma eleitora. A Lei Maria da Penha não se aplica a uma agressão entre candidato e eleitor ou em qualquer outro relacionamento semelhante. Não estou afirmando nem negando a tal agressão, até porque tomei conhecimento da notícia agora, aqui pelo Quaradoro, mas, se houve agressão do candidato contra a eleitora, a lei penal que se aplica é outra.
É necessário desfazer tal confusão. A Lei Maria da Penha somente se aplica aos casos em que as pessoas envolvidas têm relacionamento ou vínculo doméstico: marido e mulher, companheiro e companheira, companheiros do mesmo sexo (nos relacionamentos homossexuais), noivos (e até namorados, conforme o caso), pais e filhos, irmãos entre si, emporegador e empregados domésticos, e assim por diante.
Ah!... Outra coisa, antes que algum leitor abelhudo meta os pés pelas mãos, aviso que estou dando apenas um esclarecimento jurídico. Não sou eleitor do Sr. Sebastião Miranda Filho. Sou advogado e gosto de palastrar sobre a Lei Maria da Penha, que, por sinal, nas relações domésticas, não protege apenas a mulher, mas - é bom que se diga - a cada um dos "integrantes da família", conforme o texto constitucional.

Dr. Valdinar Monteiro de Souza disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Nada disso aconteceu...
foram boatos criados pelo louco do demetrios.
No final da manha o juiz Cristiano fez uma batida na tv e na radio itacaiunas de onde estava saindo a noticia.Logo depois ele deu uma entrevista informando que nada disso era verdadeiro.Tanto é verdadeiro, que não existe registro de BO.

Mural de Marabá disse...

Deu o esperado: o poder econômico elegeu aos candidatos financiados. Aos que podiam dar um tanque cheio de gasolina antes e durante a eleição, aos que podiam andar por aí com as bolsas cheias de dinheiro para assediar aos também desonestos eleitores, que são milhares.

Não adianta falarmos em reforma política, se nós eleitores não passarmos antes por uma reforma de consciência. A compra e venda de voto é coisa antiga, não tem como banir a essa prática através de leis, somente se o eleitor se conscientizar. E é besteira pensar e dizer que somente o eleitor pobre é que vende voto.

Uma vergonha que em 2012 teremos o desprazer de ver novamente, protagonizado por esses mesmos personagens, nas eleições municipais. E novamente a mesma prática entrará em ação, pois esses personagens trarão mais dinheiro na mochila, já que conseguiram uma fonte inesgotável de recursos (escusos).

Votar tá se tornando pura perda de tempo numa sociedade aristocrata, politicamente falando, como a nossa.

E se fizerem a reforma política por causa de candidatos eleitos como Tiririca, Romário e outros da mesma origem, ficará oficializado que somos um país aristocrata, adotando também o sistema de castas, que embora não seja oficial e não declarada, ela já existe.

Na verdade o pensamento dos reformadores é elitizar a política.

Francisco Pereira disse...

Fico triste por cenas dessas, como podemos aceitar um candidato a um cargo público que não consegue ouvir uma critica, se fosse assim nós os eleitores enganados por políticos mentirosos sem escrupuloso já deveríamos ter quebrado o pau na cara deles, democracia é isso você o que quer e o que não quer, que sejamos esportistas.

Anônimo disse...

Pagão, remova tudo isso do seu blog, amigo. Foi tudo elucubração do Demente, perdão, Demétrius Ribeiro, no domingo.
Um abraço!

Quaradouro disse...

Não é daqui, ô das 16:07, que as informações devem ser removidas. Mas das fontes de onde vieram: Blog do Jeso (Santarém) e Val André (Brasília).
As informações permanecem lá.
Agora, se é história do Demétrius Ribeiro, por que vocês não o processam por difamação e calúnia?
Ou então, chamem o Wilsão, ora...

Anônimo disse...

Ademir,
E a história da prisão dos correlegionários do Salame, com dinheiro e cheques para dar combustivel em troca de voto.
Será pq o Juiz Cristiano não deu nome aos bois???

Isso dá cassação??

Anônimo disse...

Por favor!!! Chamem o Wilsão, só ele faz o Demetrius ficar quieto se dar um pio. rsrssrsrsrsrsrs
Galvão burro, Galvão burro...