Pages

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Ferreirinha acha que Águia foi bem

Entrevista do presidente do Águia, Sebastião Ferreirinha, ao jornalista Gustavo Pêna, do Diário Online, nesta terça-feira (25/10):

Não deu. O Águia de Marabá tentou salvar o triste ano do futebol paraense diante do ABC (RN), pelo Campeonato Brasileiro da Série C. Contudo, após a derrota por 3 a 1 no último domingo (24), o Azulão marabaense também foi privado, assim como o Paysandu, de ascender à Série B. Mas nada de se abater. O presidente do Azulão, Sebastião Ferreira, o Ferreirinha, concedeu, ontem, entrevista exclusiva ao DOL falando da trajetória do clube em 2010 e mostrando que o Águia termina a temporada com um bom saldo.

DOL: O Águia de Marabá é uma das poucas equipes paraenses que costuma traçar um planejamento visando o próximo ano. Como pensar o clube para 2011 após a desclassificação no Campeonato Brasileiro da Série C?

Ferreirinha: Primeiro vai ter eleição para presidente do clube em dezembro. Estou pensando e analisando se vou concorrer novamente. Preciso conversar com a minha família e resolver. Mas alguns atletas ainda possuem contrato conosco e vamos ver se eles pretendem continuar.

DOL: Mas se você for reeleito presidente, quais atletas ficam e quais sairão do clube?

Ferreirinha: Por mim, o Águia ficava com todos. O problema é o assédio de outros clubes. São jogadores guerreiros que, mesmo com a falta de estrutura, representaram bem o Águia deixando equipesgrandespra trás, como o Fortaleza. A renovação de atletas vai depender da conversa com eles todos.

DOL: Existiam mesmo salários atrasados no Águia?

Ferreirinha: Em 2010 tivemos, sim, salários atrasados, mas isso não atrapalhou em nada o nosso desempenho na Série C. Acontece que fizemos um planejamento e não contávamos que a CBF não iria bancar as hospedagem e passagem na competição. Ainda trouxemos árbitro FIFA em quase todas as rodadas do Parazão, porque os árbitros daqui estavam nos atrapalhando. Por isso o nosso planejamento ‘furou’, porém os nossos jogadores são guerreiros, que não fizeram ‘corpo mole’ nas dificuldades.

DOL: Qual a avaliação que você faz do Águia em 2010?

Ferreirinha: Temos apenas 12 anos e conseguimos mais visibilidade. Gostaríamos de ter conquistado o título, mas não foi possível. Fomos vice no Paraense, ficamos entre os oito melhores times na Série C e perdemos para um time com a maior estrutura do futebol do Nordeste. Em 2011 estamos garantidos no Parazão, Copa do Brasil e Série C. Por isso tudo, avalio nosso ano como bom.  

4 comentários:

Anônimo disse...

Presidente Ferreirinha, aí é que está o problema. Como bem citas, que o "Águia foi bem". Acontece que nada ganhamos. Agora, se a ideia é esta, de só participar das competições, sem objetivar ganha-las, é obrigação sua e dos demais que compõem a parte diretiva do time, esclarecer isso aos torcedores. Ou seja, o torcedor que se dispuser ir aos jogos já deve ter em mente essa definição de sua parte e comandados. Sei não ser possível advinhar que elenco com jogadores A,B,C e etc...será ou não campeáo. Mas, temos que nos cercar de pessoas cada vez mais competentes para tentarmos minimizar as possibilidades de contratações de jogadores lesionados e/ou com possibilidades para tal, além de outros que já não venham correspondendo às expectativas. E, para tanto, acho que tal cuidado, passa pela contratação de 1 gerente de futebol e 1 técnico com curriculum de renome nacional. É o que penso. Do atual elenco, por mim, permaneceriam: Allan, Inacio, Charles, Arí,Bernardo, Daniel, Analdo, Jaime e Felipe Mamão. Em 26.10.10, Marabá-PA.

Quaradouro disse...

Quando o Fortaleza veio jogar aqui, pelo menos dois diretores do ABC vieram observar a partida, os esquemas fixos do Águia (2-5-3; 4-4-2, sem extremas direita ou esquerda, os laterais subindo para lançar na grande área, troca excessiva de passes laterais, jogo amarrado no meio campo etc.). De volta a Natal, os abcedenses reduziram as dimensões do campo, treinaram noite e dia e vieram aqui só ganhar. Dois amistosos-apronto que fizeram, ganharam todos de goleada.
Enquanto isso, o Águia não tinha uma equipe base: cada partida vinha com novidades no meio, na frente, nos lados, na defesa. Resultado: perdeu para o Peba, empatou com o Krikatejê.
Esperar o quê? Em Natal, deu no que deu.
Ora, os esquemas táticos de Galvão já não surpreendem ninguém e, me parece, nem motivam mais os jogadores. Feijão com arroz é bom, mas exige o tempero da cozinheira.

Mural de Marabá disse...

Dizia o rei Pelé algumas décadas atrás, acho que para nos compensar, quando do baixo desempenho de nossos atletas nos jogos olimpícos: "O importante é competir."

Ganhar não era nada importante na concepção do mago do futebol e de quem elaborou a frase pra ele nos falar na TV, por longos dias.

Anônimo disse...

Ei, Ferreirinha, ninguem tá dizendo que foi bem, só voces mesmos. No meu entender, time de futebol, ir bem, é ganhar campeonato estadual/classificar na Copa do Brasil e acessar à Série B. Fora isso, é balela e conversa prá boi dormir. Outra. Tem que mandar embora no mínimo uns 8 desse atual elenco, começando pelo seu sobrinho goleiro que é um baita dum come-dorme/recebe salario, sem serventia nenhuma para o time. Fuuuuuiiiiii...Em 29.10.10, Marabá-PA.