Pages

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

STF esturra, mas Ficha Limpa fica e tira Jader para dançar

Foram seis horas de discussão e  resultado foi o mesmo: empate no Plenário do
Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a validade da Lei Ficha Limpa. Mas desta vez, por meio de votação e para evitar mais desgastes na imagem da Suprema Corte, os ministros decidiram primeiramente que a decisão não poderia ser adiada. “A Justiça que tarda, falha; a sociedade espera uma definição”, ressaltou a ministra Cármen Lúcia. Em seguida, por sete votos a três, venceu a sugestão de Celso de Mello, para que fosse utilizada a regra do regimento interno do STF que prevê a manutenção da decisão contestada – ou seja, nesse caso, a decisão do TSE.
Votaram nesse sentido os ministros Celso de Mello, Joaquim Barbosa, Ellen Gracie, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Ayres Britto e Cezar Peluso.
Contrários a eles, os ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Marco Aurélio votaram pela aplicação do voto de qualidade, o qual estabelece que o Presidente do Supremo, ministro Cezar Peluso, deve ser o responsável pelo desempate. Em um voto inflamado e cheio de ironias, Mendes explicou que não há inconstitucionalidade nesta opção, ainda que fosse “inconveniente”.  “Daqui a pouco vamos decidir com jogos, par ou ímpar, chamar um mago”, disse, visivelmente exaltado. Passou batido.
O resultado é que o deputado federal Jader Barbalho, candidato ao Senado Jader Barbalho (PMDB-PA), eleito como primeiro colocado no Pará, com mais de 1,7 milhão de votos, e autor do recurso extraordinário julgado, está fora da lide política nacional. Com ele, o petista paraense Paulo Rocha, outro que renunciou a mandato para escapar de processo inevitável de cassação.
Seria este o “início do ocaso do maior líder político que o Pará teve desde o final do baratismo, a principal fonte de poder entre os anos 1930 e 1960?”, indagava no início desta semana o jornalista Lúcio Flávio Pinto, em artigo no Jornal do Tapajós on line.
Parece que é. 

4 comentários:

Ulisses Silva disse...

Ademir, não queria tomar muito espaço nos comentários de seu Blog. Por isso, meu comentário sobre esta postagem está disponível em:

http://ulissesvsilva.blogspot.com/2010/10/gilmar-mendes-e-o-julgamento-do.html

Anônimo disse...

Demir, pelo menos de 1 (hum)dos coroneis - sem farda - estamos (O país, e o estado) livres dessa perniciosa figura chamada Jáder Barbalho da política parauara. Louvor aos Ministros do STF. Tomara que tal linha de pensamento e atuação continue, nos livrando de tais personagens indesejaveis. Em 28.10.10, Marabá-PA.

Anônimo disse...

Ele comprou o TRE do Pará, mas o dinheiro roubado e acumulado a décadas não de pra comprar o STF na totalidade, mas o Gilmar Mente, como já era de se esperar, quase enfarta, haja vista ser o maior advogado dos piores bandidos desse país e arrastar mais quatro com ele. Parabens ao negão, esse é macho. É vergonhoso se ver na imprensa internacional que 3,5 milhões de eleitores no pará formam uma imensa manada de imbecis, asnos, mentecaptos, lixo moral e cultural e que jogaram o voto fora optando por continuarem comendo lixo. Mas como dizia meu velho e saudoso pai:''Quem nasceu comendo bosta, nunca vai gostar de filé''. Gostaria de ver bem de pertinho a cara do garoto propaganda e suporte escrotal do Alih Barbalho, o Ronaldo Morto, aquele do Marra Pesada de Belém. Asta la vista beibe.kkkkkkkkkkkk.....

Anônimo disse...

O próximo ficha suja será o JATENE !!!
O processo que o torna inelegível está nas mãos da Ministra Carme Lúcia !!!
Quem ri por último rir melhor !!!