Pages

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Em Marabá, tudo que é sólido desmancha no ar

É em Marabá que tudo se acaba

Em franco retrocesso político, a Câmara Municipal acaba de eleger o ex-prefeito Nagib Mutran Neto, cassado por corrupção em 1992, presidente do Legislativo para 2011/2012, anos cruciais para Marabá, quando se espera que Maurino Magalhães não esteja mais na função de coveiro do município.
É sua vice-presidente Irismar Sampaio (do PR e do Maurino); 1ª secretária, Júlia Rosa (do PDT, e cujo pai, Raimundo Rosa, combateu vigorosamente o avô do presidente eleito, Nagib Mutran); e 2ª Secretária, Antonia Carvalho, a Toinha do PT, que nos anos históricos foi oposição radical à oligarquia Mutran.
Triste Marabá...
--------
Aliás, Toinha, Irismar e Leodato Marques (do PP de Miguelito Gomes) integram a tal Comissão Apuradora que vai investigar as denúncias do jornalista Hiroshi Bogéa sobre as patifarias aprontadas pela vereadora Ismaelka Queiroz (do PTB, e uma “invenção” de Tião Miranda) com o Gol 1.6, placa NSO- 0791, alugado pela Câmara.
Diz Bogeá:
Em apenas um dia, 29 de agosto de 2010, o condutor do veículo cometeu quatro infrações, no trajeto que saiu de Jundiaí a Ribeirão Preto, passando pelas cidades de Campinas e Americana.
Como se estivesse numa rota de fuga, o condutor do Gol NSO- 0791 cometeu quatro infrações por alta velocidade.
Em outra situação, na cidade de Sales, também no Estado de São Paulo, Elka (!), ou quem estava ao volante, também pisou fundo no acelerador.
Bem mais perto de Marabá, zanzando por Belém e Goianésia, o mesmo Gol 1.6 é apontado na Consulta de Veículos do Detran (PA) infrator de trânsito por excesso de velocidade.”  
Putzgrila!
Olha o carrinho da Elke voando baixo
no interior de São Paulo!
Não seria melhor que essa Comissão Apuradora fosse, de fato, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que, ao final, pusesse no olho da rua essa vereadora?
Ou a Comissão Apuradora é o manto sob o qual vai funcionar o corporativismo, l’esprit de corps que sempre caracterizou o Legislativo marabanse?

15 comentários:

Gilvandro Oliveira disse...

Ademir,

Dentre os vereadores atuais da câmara municipal, vc tinha preferência? e qual éra o seu ideal para assumir a presidencia do legislativo de Marabá nesse momento?

E quanto ao desmando da nossa vereadora, denunciada pelo blog do Hiroshi, não tem como essa comissão não deixar de punir exemplarmente, tá em jogo a credibilidade dos vereadores junto a população da cidade, e isso pesa na balança, o comentário é geral.

Anônimo disse...

Adivinhou!!!!AHAHAHAHAHAHAHA...

Quaradouro disse...

Gilvandro:
Na medida em que todos os treze vereadores se tornaram apóstolos do Maurino, extinguindo qualquer oposição no segmento político- partidário aos desmandos que o Executivo perpetra no Município, abandonando sua função constitucional que é de fiscalizar a administração, então tornou-se uma extensão do gabinete do prefeito.
Desse jeito, melhor se a Casa tivesse as portas fechadas e todos os vereadores, sem exceção (inclusive pelo histórico de seus próprios desmantelos),fossem mandados definitivamente para casa contar seu dinheirinho caído do céu.Ou, em alguns casos, para lugar mais apropriado, segundo a avaliação de milhares de eleitores.

Dr. Valdinar Monteiro de Souza disse...

Preclaro irmão e colega Ademir Braz:

No que diz respeito à comissão, o "nomen juris" é irrelevante, como advogados que somos e eu você o sabemos. Trata-se de uma comissão processante, criada pela Presidência da Casa, na do art. 72 combinado com o parágrafo único do art. 106 do Regimento Interno, após decisão do Plenário em sessão secreta realizada conforme o art. 142, para apurar os indícios de irregularidades de que é acusada a vereadora Ismaelka Queiroz Tavares. O nome dado oficialmente, por minha orientação, foi "Comissão Especial de Inquérito", cujo funcionamento seguirá, no que couber, os preceitos do Decreto-Lei nº 201, que disciplina o processo e julgamento de prefeito e vereadores, e ainda os do Regimento Interno da Casa.
O fato não necessita de comissão parlamentar de inquérito para ser apurado, mas, sim, de comissão especial de cunho disciplinar, tal qual a comissão de processo administrativo disciplinar no âmbito do Poder Executivo ou mesmo do Poder Legislativo, para apurar faltas de servidor. É uma comissão de processo administrativo disciplinar que, quando tem como investigado um agente político (prefeito ou vereador), deve ser composta de vereadores, também agentes políticos.
Anoto que, depois da decisão da Câmara, recebemos uma recomendação do Ministério Público Estadual recomendando a criação de uma comissão parlamentar de inquérito, mas ainda que a houvéssemos recebido antes, minha orientação seria a mesma que dei, pois, "data venia", falar de comissão parlamentar de inquérito para casos como este constitui um equívoco. Não é sem razão que o Decreto-Lei nº 201 chama de comissão processante. Comissão parlamentar de inquérito é, "data venia", para outros assuntos e não para os fins do Decreto-Lei nº 201 e, quando fala de decoro, do Regimento Interno.
Lembro, finalmente, que qualquer que fosse o "nomen juris" adotado, a decisão de cassar o mandato, no processo perante o Parlamento, é sempre do Plenário da Casa. Ou seja, "in casu", a comissão especial de inquérito terá prazo de 30 dias, prorrogável por igual período, se necessário, para apresentar relatório circunstanciado de seu trabalho, o qual será votado pelo Plenário, como órgão máximo do Poder Legislativo.
O que importa realmente é que a comissão processante investigue, apure, para que o Plenário possa julgar. Com a palavra, então, os membros da comissão, já que, a partir daqui, o assunto sai da minha competência.
É isso, mano velho.

Anônimo disse...

Ademir
Quando vc trabalhava na camara posto pela vereadora Julia Rosa e ganhava um bom salário, eu não via em vc essa antipatia com os vereadores, vc sabe que alí tem edis com compromisso e história na defesa desta cidade,hoje os tempos mudaram, por exemplo não existe mais aquele velho batelão lá no granito, o entendimento contemporâneo das famílias outrora historicamente adversárias politicas é um avanço, pois a busca do entendimento eleva a discussão e evita a discórdia, as diferenças de idéias são salutares, não é na agressão pessoal que uma cidade se desenvolve.

Anônimo disse...

Até 2012, o eleitorado já esqueceu desse episódio. Até mesmo a vereadora, hoje molestada por um setor da mídia local, pode se reeleger.

Não vejo nesses fatos nada de anormal.

Isso tá parecendo perseguição, porque a vereadora, todos sabem, é afilhada de Tião, futuro prefeito de Marabá em 2012.

E vamos para o próximo tema que esse é mais uma página virada.

Quaradouro disse...

Das 19:55:
Correção 1ª - Trabalhei na Câmara a convite de Sebastião Ferreira Neto, presidente.
Correção 2ª - Busca de entendimento entre algozes e torturados é síndrome de viado.
Correção 3ª - Que os tempos mudaram, você está certo: é cada vez pior a qualidade dos prefeitos e vereadores que até com 300 votos se elegem nesta cidade.
Neste caso, culpa dos partidos, que juntam na rua, com gadanho, os candidatos que lançam mais como bucha de canhão eleitoral para eleger os queridinhos da cúpula da sigla.E o tiro se vai pela culatra.
Contemporaneidade com passado sujo? Ora, anônimo, sacanagem tem limites!...

Quaradouro disse...

Porra, das 19:56, você diz não ver "nada de anormal" numa Câmara que gasta R$ 57 mil por veículo alugado; que tem uma vereadora que usa esse carro para fazer alguma coisa (o quê?) no interior de São Paulo sem autorização da Casa?
É por causa de pessoas como você que aqui se tornou a casa da mãe joana.

Anônimo disse...

Ô das 19:56, pelas suas palavras, seria um imenso desprazer conhece-lo pessoalmente, percebe-se nelas que infelizmente você faz parte desse imenso lixão que elege essa escórea suja que está aí sugando o nosso sangue nos três níveis da federação. Deves ser também eleitor do Alih Barbalho não é? A verdade é que ¨Quem nasceu comendo merda, nunca vai gostar de filé¨. E a CMM é que nem bosta, quanto mais mexe, mais fede. Meus pêzames marabá. SEBINHO

Anônimo disse...

Pra início de conversa, já foi uma grande vergonha e um grande golpe em cima da população, a CMM ter aprovado a locação desses veículos aos "nobres" edis. Acho que nenhum deles andava a pé. E mesmo que andasse, o salário que recebem paga um carro em menos de 4 anos.

Esse marketing direcionado aos edis atuais faz parte de um esquema de publicidade com fins eleitoreiros. A esculhambação na CMM rola não é de hoje.

Mas nos atendo aos veículos, como dizem a boca miúda por todos os cantos da cidade, não é apenas essa vereadora que faz uso indevido do veículo e que também tirou os adesivos. Basta olhar os ditos veículos circulando pelas ruas para se constatar que ela não é a única. Os carros são usados até para levar os cachorrinhos para o veterinário.

Gostaria de ver os formadores de opinião e a mídia de um modo geral, conclamar a população a não votar mais nesses "personas" que aí estão na CMM. Duvido!

Além disso fico com os pés atrás com toda essa propaganda, que me parece mais uma forma de extorção. Alguém quer levar alguma vantagem com todo esse pano de fundo que se monta em torno desse fato até irrelevante, diante do que é comum a quem está no poder fazer, ainda mais aqui, uma aldeia com muitos índios e uma meia dúzia de caciques.

Apenas lembrando: estamos numa cidade em que até os midiáticos são suspeitos. Não conheço a nenhum independente.

Lembro de um caso, numa cidade distante, em que o filho do proprietário de certo jornal local era Assessor de Comunicação daquela prefeitura. Nada era mostrado. Foi só o "menino" sair, que as notícias em torno do que está errado começaram a pipocar.

Quero dizer que qualquer semelhança com qualquer outro caso parecido, é mera coincidência.

Voltemos à CMM e aos tais veículos disponibilizados para esses nossos guerreiros.

A gasolina pagamos; os pneus, pagamos; a manutenção, pagamos; o motorista de alguns, pagamos; o estacionamento, quando tem, pagamos.

Além dessas contas temos ainda os celulares, internet, telefonemas fixos, xerox, impressos, propaganda institucional, as e os amantes, o motel, as diárias pelos turismos que costumam fazer, o uisque, quem sabe até o talco e o fumo que só é liberado por lei aos índios, as orgias, se acontecem, ETC.

Se armarece a esse circo que chama de CPI, também pagaremos pelas diárias, pra no fim do enredo vermos a ela e os demais reelegendo-se.

Então, diante do que já pagamos em troca de nada, o que há de anormal em acrescentar algumas multinhas à nossa conta?

Anônimo disse...

Ademir, concordo em número gênero e grau, cada vez mais nossa cidade se torna infame, desmemoriados(ou fingem ser), alguns vereadores resolveram esquecer o passado. Nagib Mutran começa a botar as mangas de fora, com cara de renovado e bom-moço, aquela mesma que ele usou para conquistar votos em 1988. Ademir, às vezes vc lava a nossa alma, mano. Porreta!

Anônimo disse...

Ô Demirrr! Quero ver o comentário do Cebinho pô.

Anônimo disse...

O comentário do (da?!) 20:35 é coisa da Vanda. Ela pensa que engana. Papo de "lava a nossa alma" é igualzinho aos "filhos da terra". Eh eh eh eh

Anônimo disse...

16:28
Tu acha que é sô a vereadora Vanda que tem memoria?
Pois eu lembro de todo arrogância e truculência do governo dos mutrans,
-O assalto feito pelo nagib e Damasceno na prefeitura(casa capital)
-AS violências cometidas pelo pai do nagib, o vava. Como o Nagib, não gosta de trabalhar, quem assumia era o pai, vc deve lembrar,
-Os salários, que não eram pagos por vários meses.e quando pagos descontos indevidos e se alguém reclamasse tava na rua.
Então meu caro anonimo são ´pr essas e muitas outras que eu to fora por muitas gerações de qualquer possibilidade deles voltarem ao poder.Todo marabaense e não marabaense que dar valor a liberdade, a ética, as instituições a moral diz não.......

Anônimo disse...

anonimo filho de mioca, oque vc tem contra os filhos da terra?