Pages

sábado, 22 de outubro de 2011

Frente pró-Carajás bate cabeça

O deputado federal Arnaldo Jordy (PPS-PA), contrário à emancipação de Carajás, no último dia 15 postou no Twiter a seguinte declaração: “Decepção é o que o povo está tendo com aqueles que, em nome de uma causa, sumiram com R$ 5 milhões da campanha”.
O fazendeiro Luciano Guedes, a quem Jordy seguramente dirigiu a peçonha virulenta, como diriam Autusto dos Anjos e nosso Degas, assinalou no dia seguinte que a dentada atingiu-o em pleno fígado e reagiu:
“... não vou aceitar um mentiroso, caluniador, utilizar do mandato para intimidar cidadãos de bem da nossa região. Temos que utilizar de instrumentos jurídicos para comprovar ou desqualificar as denúncias feitas por este Deputado. Se não adotamos tais medidas, parece para todos que estamos coniventes com desvios relatados por este senhor.”
A frase é de e-mail dele enviado aos seusprezados companheiros Salame, Giovanni, Haroldo e Ademar”, antigos e atuais integrantes da Frente Pró-Carajás, em que explica não ter sido ordenador de despesas do Ipec (Instituto pró-Estado de Carajás, e articulado em Redenção), onde era o presidente com “a responsabilidade estatutária de representar apenas institucionalmente a entidade”.
Amortecida a bola no peito, Luciano Guedes a remete, num voleio, aos três tesoureiros do Ipec – Hidelfonso, prefeito de Abel Figueiredo, Ítalo Ipojucan  e  Marcelo Queiroz, “que assinam documentos em número de no mínimo de dois”.
Atirado o trio ao monte de lenha seca das piores suspeitas, Guedes hipoteca solidariedade a esseshomens que dedicaram parte do seu tempo à causa e lutaram bravamente para colocar os nossos trabalhos nos trilhos, com credibilidade, viabilizando iniciativas que precisávamos de uma instituição para legalmente contratar e pagar alguns serviços essenciais ao inicio dos trabalhos”.
Depois acende o fogo da fogueira pública sob os três suspeitos da iniqüidade, enquanto considera, com gravidade, “ser injustiça agora deixarmos os três companheiros responderem sozinhos por algo absurdo (a denúncia de que eles desviaram R$ 5 milhões).”
Antes, por fim, de lavar as mãos Luciano Guedes deixa assar bem a batata e a arremete em brasa a seus prezados companheiros: “Espero ainda que a nossa frente tome providências, pois se trata de uma estratégia ardilosa de um adversário da nossa causa, que está utilizando de uma mentira para desestabilizar o nosso grupo e induzir a opinião pública a descredenciar-nos a possuirmos a credibilidade necessária do nosso grupo, quando estivermos em trabalho de arrecadação de recursos imprescindíveis a viabilidade da nossa campanha.”
Atual presidente da Frente pró-Carajás e filiado ao mesmo PPS de Jordy, o deputado João Salame não se fez de rogado. Na segunda-feira, 17 de outubro, mandou e-mail a Luciano Guedes informando-lhe não ter medo de entrar na justiça contra ninguém, “mas o próprio Jordy, numa das mensagens no twitter, disse que não era de mim que ele estava falando. E que o suposto desvio ocorreu antes de eu assumir a frente. Portanto, ele está falando da pré-campanha. Do IPEC”.
E devolve a batata ardente: “A Frente não tem o que responder porque não arrecadou nada. O IPEC arrecadou. Por sinal, até hoje eu não sei o que foi arrecadado e onde foi gasto. pedi o relatório, mas não me entregaram. Portanto, não posso responder por algo que não sei de nada”. Dada a mordida, não deixa de assoprar: “Sou solidário a você porque lhe conheço. Mas essa demanda quem tem que acionar é o IPEC. Se precisar de mim, estou junto.”
Para quem está de camarote assistindo a guerra intestina da Frente pró-Carajás, ficou a impressão que seguramente R$ 5 milhões de origem meio obscura (fruto de arrecadação com leilões de gado doado) viraram bufa de visagem, para dizer o mínimo. E logo logo se recorda da boataria de que os donos de Carajás teriam torrado R$ 1,5 milhão com um advogado que sequer apareceu em Brasília para defender, no Supremo, a causa da emancipação regional.

10 comentários:

Anônimo disse...

Demir, imagine vc., os caras já estão furtando um ao outro antes do futuro estado, quando botarem a mão na dinheirama de Carajás, hem ? Em 23.10.11, Marabá-PA.

Anônimo disse...

Demir,

Esse Luciano Guedes é pila. Sabe a Amat, outrora poderosa associação dos municípios? Hoje vive de favor lá no comitê pró Carajás. Foram despejados da antiga sede por falta de pagamento de aluguél. Pode? Pergunte pra Tereza, ela não esconde de ninguém. Todo mundo sabe que o Luciano "parmeou" (como dizem aqui em Redenção), meteu a mão.

Alan Souza disse...

Hã... Paulo Preto fazendo escola?

E como é que Carajás pretende ser diferente do "antigo" Pará, se as pessoas do movimento pela divisão já agem dessa forma?

Vai ficar tudo como dantes, no quartel de Abrantes, o povo vai continuar sendo roubado, e aí vão culpar quem? Hoje culpam o Pará, e quando for Carajás vão culpar quem?

Anônimo disse...

o jordy é um delator safados.
se ele saibe e não faz nadai sendo deputado, é porque está no meio dessa "negociata". é assim que ele aje com todos e com tudo. o bertodo couto de marituba e os secretários do pps está roubando adoidado e ele o jordi indica muitos assessoreis pra lá. além de ter recebido R$ 500 mil do bertoido para a "campanha", que ele embolssou e não declarou.
até quando esse jordy vai enganar esse pessoal que ainda acredita nesse ficha sujíisima.

Anônimo disse...

Isso começou no Twitter após alguém ter postado o vídeo do Jordy dizendo que é SIM a favor da emancipação de Carajás e Tapajós. Posteriormente, nosso líder Luciano Guedes o cutucou, colocando lenha na discussão do vídeo. O Jordy, que todos sabem não tem credibilidade, se sentiu acuado e inventou esta para contra-atacar LG.
Portanto, tudo não passa de invenção de Jordy, na tentativa de minar a credibilidade de um de nossos líderes e, assim, atrapalhar nossa luta e a arrecadação de nossa causa, que já é insuficiente.
Importante destacar que ao ser desafiado a PROVAR a acusação feita, Jordy simplesmente sumiu, escafedeu-se do Twitter. Cade a PROVA Jordy ? Estamos aguardando....
Verifiquem a veracidade de minha narrativa no Twitter.

Anônimo disse...

Falar é fácil, denegrir mais fácil ainda. Quanta calúnia, me decepcionei demais c/ o Jordy, pensei que ele fosse um homem sério e direito. Mas me enganei. Nunca mais voto nele, que se utilizou de um assunto tão sério de ser contra a pedofilia só p/ se eleger.Ele joga baixo demais.

Ademir Braz disse...

Eu não conheço o Jordy (nem quero!)nem sei de nada sobre pedofilia da parte dele.
Quero saber é onde foram parar os R$ 5 milhões, que ninguém até agora negou a existência nem disse onde foi parar.
Cadê o dinheiro?

Luciana disse...

Ademir e vc acreditou? Achei que fosse inteligente. É tudo jogada da turma do contra, quem dera dinheiro fosse facil. quero é saber c/ o dinheiro de quem? (o do contribuinte?) os do NAO tão fazendo campanha, porque em Belem e redondesas tem fartura na campanha do NÃo.

Empresário Redenção disse...

Deixa de ser ingenuo Ademir, vc acha q os empresários que doaram p o IPEC não estão acompanhando onde este dindin está sendo aplicado? Sou empresário e quero saber de tudo, senão não doô mais. Pra mim, eles apresentaram onde foi usada minha doação.

Anônimo disse...

e minha gente , a coisa ja era previsivel luciano guedes viu que pau dárco arrecadação era pequena, um fiasco pra ele como prefeito passa ate meses sem despachar, e quando passar na cidade e um dia so pra assinar cheques, talvez ele tenha encontrado no IPEC, atraves do movimento pro carajás a oportunidade de passar a mao em arrecadação de verdade todo mundo quer este estado, e que ajudar de alguma forma, to sabendo que mais so em parauapebas foi leiloado 1000 bois para arrecadação integral para o IPEC, e muito dinheiro transparencia zero, cuidado com ele ,o dinheiro ta sumindo nao tem adesivo pra carro, nao tem camisa nao tem gente na rua, dinheiro entra e ninguem v~e , pare esse homem , senao by by sonho do estado do carajás estamos sendo roubados antes de virar estado,, FORA LUCIANO GUEDES.