Pages

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Para Maurino, saúde é caso de polícia

Enquanto o caos toma conta do Hospital Municipal de Marabá, por falta de médicos, medicamentos e infraestrutura, uma comissão formada por vereadores, médicos e representantes de várias entidades se reuniu (à noite de 09/02) E apresentou cinco propostas para desafogar o hospital. Entre elas, tirar o ambulatório do HMM, restabelecer convênio com o Hospital da Guarnição do Exército e ampliar o atendimento do SUS com o Hospital Santa Terezinha”.
Esta informação é chamada de capa do jornal Correio do Tocantins, edição 2.171.
A reação do desprefeito Maurino Magalhães foi fulminante: na posse do novo comandante do CPR II, ele pediu e obteve (pelo menos a garantia) do comandante do 4º BPM de um reforço policial para o Hospital Municipal “porque muitos pacientes que não conseguem atendimento acabam ameaçando médicos e demais profissionais”.

10 comentários:

Anônimo disse...

Reforço policial para o hospital "porque muitos pacientes que não conseguem atendimento acabam ameaçando médicos e demais profissionais”... Penso que ele NÃO DISSE isso. É demais! Não pode ter sido!... Não posso escrever aqui o que penso que merece um prefeito ou qualquer agente político que DISSER uma coisa dessa.

Anônimo disse...

E para a justiça e seus seguimentos, o Maurino é fonte de renda fácil. CEBINHO.

Quaradouro disse...

Maurino disse, leitor das 13:48. E a cobertura disso está no Correio do Tocantins de 11.02

Anônimo disse...

Esse prefeito é doido!

José Coruja da Silva disse...

Tá certo. Pobre que não tem dinheiro pra pagar plano de saúde tem de levar cassetete no lombo. Dá-lhe, Maurino!

Anônimo disse...

Se o povo tivesse elegido a Bernadete não estaria nesse sufoco. Lembram do que ela prometia para a saúde? Hospital público superior aos de Teresina e Goiânia. Mas o povo preferiu votar no Maurino. Agora é esperar o homem concluir o mandato.

Dr. Valdinar Monteiro de Souza disse...

Ademir, mano velho!...

Polícia para prender quem se zanga POR NÃO SER ATENDIDO no hospital público? Onde vamos parar, meu irmão?
Mas, eu confesso (embora o faça pedindo que não me apliquem a pena de apedrejamento): eu cometi O ERRO GROSSEIRO de votar no Maurino e pedir aos meus amigos e colegas que votassem também, por acreditar que ele faria um governo melhor do que os que Marabá já tivera. Quão ignorante eu fui! Como fui irresponsável com o meu voto! Perdão! Eu, sinceramente, peço perdão a todas as vítimas!

Anônimo disse...

É Dr. Valdinar, perdoado, pois quando se está em baixo de taca, qualquer lamparina no fim do túnel é olofote. Pra fugir da ditadura TIÃO, qualquer um era alternativa, e o Maurino traiu as aspirações da maioria, inclusive conservando em seu desgoverno alguns sargentões da dinastia Tião, que já desponta erroneamente como solução pro caos que o Maurino plantou aqui. Um erro pra piorar o outro, RETROCESSO. Um abraço, CEBINHO.

Anônimo disse...

Ela PROMETIA, é, anônimo das 12:50?... Rapaz, sinceramente... Eu conheço tanto um quanto a outra, como Vereadores da Câmara Municipal. Não sei qual dois é mais miserável e mau agente político.

Anônimo disse...

Belém está igual ou pior meus irmãos.Aqui a diferença é que o prefeito "quase entende" de medicina:foi médico falsificado por alguns anos,o que lhe dá "catiguria" para botar um engenheiro na secretaría de saúde do município.A minha esperança é que um dia a gente faça como no Egito(sem porrada,claro).