Pages

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

A ponte chamada Marabá

Marabá precisa de lideranças novas, que lhe resgatem a auto-estima
Amigos indagam (um deles, de Goiânia, sinceramente preocupado) como é que vai ficar agora a situação político-administrativa. Eu tento tranqüilizá-los.
Primeiro, porque há muito tempo a péssima atuação da Câmara e da Prefeitura nada representa - a não ser pelo prejuízo que ambos nos dão ao bolso e ao pudor! - para o desenvolvimento econômico e social do município.
A turma que está no Legislativo, eleita por gente que hoje nem sequer recorda se, de fato, votou nesses edis (mas que podem repetir o erro na próxima eleição se levar em troca pelo menos uma gota de colírio em cada olho), não tem disposição ou tutano ou qualificação suficiente, em regra,  para entender e encarar a zorra que as circunstâncias superestruturais estão aprontando para todos nós, nossos filhos e netos. A turma só quer saber de si, de locupletar-se enquanto pode.
Quem tem passado pela prefeitura - e até judicialmente posto fora dela por improbidade e judicialmente retornado em condições nebulosas - tem sido incapaz de ver que Marabá extrapolou suas fronteiras físicas, tornou-se mesorregião, e tenta "administrar" como se estivéssemos isolados do mundo e da história.
Enquanto isso, os mega-investimentos, os grandes projetos supostamente de interesse nacional e multinacional, passam por Marabá como a luz passa pela vidraça: sem deixar resíduos ou vestígios - exceto pelos efeitos colaterais danosos e onerosos como insegurança pública, prostituição, marginalidade e pobreza.
Quais minhas perspectivas com Nagib Mutran Neto de volta à Prefeitura?
Ora, nenhuma! Ele acabou de dizer à imprensa que não vai mexer em nada, e assim estou a cavaleiro para entender que vamos continuar sem prefeito...
Acho uma burrice monumental adiar nossas esperanças para 2012, principalmente com a possibilidade do retorno de Tião Miranda ao Executivo.
Vocês ainda não cansaram de autoritarismo, falta de entendimento com a sociedade, falta de políticas públicas para educação, cultura, trânsito, transporte urbano?
Para não dizer que não acredito em nada, devo dizer-lhes que não se iludam: não existe nada em Marabá que não possa ser piorado.
Sim, mas podemos mudar alguma coisa. Se elegermos uma Câmara decente, cônscia de seu dever constitucional de fiscalizar o Executivo e evitar seus desmando, já será um começo. Neste sentido, aliás, uma reação pequenininha mas interessante já está em curso e boas surpresas poderão vir antes que tanta água suja continue a passar debaixo da ponte chamada Marabá.

8 comentários:

Anônimo disse...

Ademir
Que tristeza esta situação.O que ter como base para nos separarmos do Pará?Criar mais lugares de comando para imcompetentes e corruptos?O Pará já tem seus problemas de descaso com sua imensidão mas multiplicar o caos não é a solução.Torço como voce e muitas outra pessoas para que novas(e boas)lideranças apareçam.Marabá é centro da mais rica região do estado e merece mais amor de seus filhos e enteados.

Anônimo disse...

concordo plenamente com o amigo de goiania.sua visao e otima os fatos dizem tudo.camarada sou marabaense vivo ja quase 4 anos usa.(america) e vejo o tanto que nossa cidade precisa mudar,parece q o tempo nao passa em maraba. baixa qualidade em tdo . espero que em 2012 o povo escolha pessoas conciente e preparada pra administra essa cidade. abraco e q deus abencoe nossa terra.. gersonsantos15...usa

Ulisses Silva disse...

Há algo mais para ser dito??????

Anônimo disse...

Parabens pelo texto. Como marabaense que sou, na atualidade não consigo enxergar essa "nova" liderança que voces tanto procuram a não ser o ex prefeito dessa cidade, o Miranda. Mas acredito que, com uma camara atuante Marabá tomará o rumo certo ao desenvolvimento. Mesmo com tantos acessores ao seu redor o gestor atual ainda não botou a casa nos eixos,para os projeto sairem das quatros paredes e irem as ruas e nao ficarem em carros de son andado pra cima e pra baixo, pregando ilusões.

Anônimo disse...

Ademir!!
Voce critica tanto os politicos de Marabá por que vc nao se candidata a algum cargo pra ver se vc faz alguma coisa com o poder na mao?????

Quaradouro disse...

A intenção, caro das 14:44, é estimular agora, pra já já o questionamento do que está aí e que já chega. A princípio somos poucos, agora um pouco mais do que ano passado e há um certo fluxo que esperamos se torne contínuo. Não vou antecipar nada, por enquanto. Mas a minha expectativa é que em breve tenhamos novidades.
A primeira coisa, entretanto, é não convalidar o que está posto aí e insistir que existem alternativas políticas sadias e maduras.
Agradeço por manifestar-se neste blog e vamos à luta (como diz sempre o bom amigo e ativista Raimundo Gomes da Cruz Neto)

Quaradouro disse...

Uma coisa de cada vez, moço/a das 15:35. Cada coisa a seu tempo.

Goreth Valério da Costa disse...

Ademir bela reflexão. Pense com carinho na proposta de candidatar-se a CMM. Se existissem pelo menos meia dúzia de vereador para questionar os gestores, esses pensariam duas vezes antes de fazer mer... (desculpa, antes de fazer lambança).