Pages

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Separacionismo

Sei que vou desagradar a muitos, porém, sempre fui contra a criação do novo Estado, pois conheço a história do Pará e tenho profundo orgulho de ter nascido nesta unidade da federação representada na bandeira nacional, pela estrela que brilha, sozinha, acima da frase "Ordem e Progresso".Os problemas que enfrentamos, não os enfrentamos por sermos paraenses ou por habitarmos o território do Pará e sim pela omissão de alguns representantes da classe política eleitos por nós ao longo do tempo e, também, por fazermos das eleições uma colcha de retalhos, elegendo ou votando (desperdiçando votos) em pessoas sem nenhum compromisso com o sul e sudeste do Pará, sendo inegável que Marabá, fora de dúvidas, é um dos Municípios que mais pulveriza os votos nas eleições para a Assembléia Legislativa e a Câmara Federal.
De que adianta criar um novo Estado se os políticos continuarão sendo os mesmos? Eles apenas serão promovidos a cargos que não têm condições de alcançar no contexto político paraense.
Será que pararam para analisar que nas últimas décadas os donos do poder têm impedido o surgimento de novas lideranças e que não temos peças de reposição para substituirmos os inoperantes (com raríssimas exceções) que estão?
Do Pará recebemos a parte mais rica de seu território e queremos pagar com a separação?
No entantoalgo mais grave que vem sendo fomentado nas vielas escuras dos subalternos interesses eleitoreiros e que devemos combater vigorosamente, que é a idéia de criar novos Municípios a serem retirados do território marabaense.
Estes novos Municípios não têm nenhuma condição de sobrevivência e serão meros penduricalhos de Marabá, de cuja infraestrutura se aproveitarão.
A criação favorecerá aqueles que pretendem ser prefeitos, vices e vereadores, inclusive alguns que, ultimamente, tem visto os seus horizontes políticos de afunilarem cada vez mais em Marabá.
É de se ressaltar que Morada Nova é bairro de Marabá e não Distrito, pois o perímetro urbano se estende até o igarapé Flexeiras e bairro jamais poderá ser elevado à categoria de Município.
Vamos cerrar fileiras contra este crime que se quer cometer contra Marabá.
(Dr. Plínio Pinheiro Neto)

10 comentários:

Anônimo disse...

Parabens, caro Plínio. Está na hora de levantarmos nossas vozes contra essas campanhas. Também penso como você e caso o amigo esteja disposto, proponho a criação de um movimento paraensista para contrapor essa idéia separatista. Tenho absoluta certeza que centenas se manifestarão favoravelmente, até porque à boca miúda é o que se ouve, fora os "políticos", evidente. Fica aqui o meu incentivo. Conte com muitos!!! vamos botar nosso bloco na rua, Paraenses!!! abaixo a divisão!!!

Blogue Marabá 2012 disse...

Para que essa região sofra alguma melhora, e principalmente a sua população, não é necessário o desmembramento. Basta os prefeitos, vereadores, deputados estaduais, federais e senadores que dizem ser nossos representantes, fazerem a sua parte: trabalharem em prol da população, e não somente em prol deles e de seus grupinhos, como têm feito até agora. Cada um querendo ficar mais rico que seu antecessor. Parece até uma disputa para vê quem é que vai ficar mais rico durante os quatro anos que ficam no controle.

Quero lembrar a todos os que a emancipação será apenas territorial, não nos emanciparemos dessa corja de políticos nefastos que até agora têm nos brindado com toda sorte de mazelas.

Vejam o que fizeram os dois maiores representantes da cidade de Marabá e região. Um com cerca de 60 mil votos e outro com mais de 30 mil.

Ao invés de estarem lá em seus devidos cargos, fazendo o que prometeram que fariam caso fossem eleitos, eles resolveram abrir mão da luta pelo povo e aceitaram ocupar outros cargos, outras funções, diferentes daquelas que se comprometeram como os milhares de eleitores que acreditaram neles.

E ainda vêm à mídia dizer que onde estão farão muito mais.

Você acredita? O governador só vai liberar serviço e verba até onde não ofuscará o seu brilho. Secretário não tem autonomia. Faz somente o que o chefe manda.

Claro que o que rolou de benefícios nessas trocas, só eles mesmos sabem.

E o povo que votou, foi consultado a respeito da troca de cargo?

Nada impede que Marabá tenha esgoto sanitário, de água e fluvial; uma saúde pública que atenda dignamente a seus moradores sem colocar em risco nossas vidas; escolas que formem verdadeiramente a cidadãos conscientes, pensantes e capazes de sobreviverem sozinhos, sem ajuda disso ou daquilo; que nós tenhamos o direito de ir e vir com segurança.

Tudo isso que citei acima e que nos faz falta, não acontece porque o restante do território paraense impede.

É por causa sim desses nossos administradores, desses que temos elegido ao longo de nossas vidas.

Vamos mudar o rumo de nosso voto para que a coisas aconteçam. Se continuarmos com esses representantes que hoje detém o poder político nessa cidade e região... Podemos esquecer qualquer melhora em nossas vidas e na vida das gerações futuras.

É daqui pra pior.

Maricotinha disse...

Concordo plenamente. E digo mais: separar o estado é só e tão somente, aumentar a miséria da população. Beneficia apenas os espertalhões de plantão.

Anônimo disse...

PERFEITO, EU CONCORDO PLENAMENTE EU TE CONHEÇO PLINIO E SEI DE TUAS AMBIÇOES... TU É COMO EU... COMO ESTAMOS FORA DA POLITICA PODER SOMOS CONTRA O ESTADO DE CARAJÁS MAS SE ESTIVERSEMO A CERTEZA DE UAM FATIA DO BOLO SERIAMOS O PRIMEIRO A MATAR E MORRER PELO ESTADO DE CARAJÁS... NÃO ME ENTENDA MAL SÓ ESTOU SENDO SINCERO...

Anônimo disse...

CONCORDO PELENAMENTE... JÁ NÃO TEMOS DIREITO E NEM OPORTUNIDADE DE PARTICIPAR DESSA POLITICA REGIONAL DO JEITO QUE A COISA TÁ IMAGINE QUANDO FOR ESTADO.... QUEREMOS A CERTEZA DE NOSSA FATIA DO BOLO AÍ SEREMOS DEFENSORES FERRENHOS DO ESTADO DE CARAJÁ.

www.ribamarribeirojunior.blogspot.com disse...

Muito boa a reflexão, parabéns Dr. Plínio!

Plinio Pinheiro Neto disse...

Caros amigos.

Estou fora da politica desde 1986, após ser vice-prefeito de Marabá e Deputado Estadual por 12 anos e se fosse meu desejo voltar a ela, já o teria feito.Convites não faltaram. Não o fiz, porque sou defensor intransigente da renovação dos quadros administrativos e politicos e creio que já dei a minha contribuição.Voltei à minha banca de advocacia e nela exerço o duro labor do dia a dia.Dou esta resposta, não por achar que devo justificar-me e nem para polemizar, mas por respeito as manifestações, algumas ainda que anônimas. Ao caro anônimo que diz me conhecer e também as minhas "ambições" quero dizer-lhe que nem mais Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de Carajás poderei ser, pois já ultrapassei a idade limite.
Com extremo apreço por todos e, sobretudo, pelo Direito de manifestarem suas opiniões.

Plinio Pinheiro Neto

Anônimo disse...

90 % dos que levantam a bandeira da emancipação são urubus e aves de rapina que a décadas vem sugando o sangue de Marabá e região, e como vermes que são, suas fissuras em sugar cada vez mais e mais, entendem que: Que na atual conjuntura, não conseguem passar do que são, se reduzissem o terreno, alsariam voos mais longos. Um pau mandado seria um vereador, um vereadorzinho de bosta iria a deputado e um deputadozinho marionete poderia ser um governador, senador; é assim que essa corja pensa. Os outros 10%, é formado por alienados sem opinião própria, paus mandados e bestas de cabresto. Se liga Sul do Pará, não se deixe manipular. CEBINHO.

Quaradouro disse...

Maricotinha:
Você vai me explicar direitinho esse ponto de vista.
Desde já, vá arrumando suas justificativas para que o Sul do Pará continue mantendo as mordomias da Casa grande localizada em Belém.

Quaradouro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.